quarta-feira, 25 de junho de 2014

Tags: , , ,

DIMED - 1T2014


Tenho andado sumido da blogosfera nestes últimos dias em função do nascimento do Uorrem Bife II mas em compensação tenho visitado muitas farmácias nos últimos dias. rs. Impressionante como os cuidados com um filho recém nascido e uma mãe recém parida exige tantas idas e vindas a farmácias. Durante todo o período de tratamento para engravidar, bem como todo o período de gravidez, as visitas às farmácias se tornaram frequentes mas nos últimos dias se itensificaram.

Antes de comprar qualquer remédio sempre procuro visitar pelo menos 3 farmácias para pesquisar o menor preço, e encontra-se diferenças bem significativas. A não ser quando o remédio é de extrema urgência e neste caso vou direto a uma farmácia em específico, seja a mais perto ou aquela que apresentou menor preço na última compra.

Aqui no meu bairro geralmente compramos nas drogarias Pacheco, Araújo, Drogra Raia e Pag Menos. Esta última tem feito jus ao nome e apresentado os melhores preços.

Agora vem a seguinte questão: seria interessante investir em algum grupo do setor de farmácias já que remédios e produtos afins são itens obrigatórios na vida de qualquer cidadão?

Muito se fala das margens baixas deste setor, e isto é real, mas por outro lado trata-se de um setor não cíclico, o que poderia tornar a carteira de investimentos mais robusta, porém com menos potencial de crescimento.


No passado estudei dois grupos: Drogra Raia (Raia Drogasil) e PanVel (Dimed), acabei optando por investir no segundo face os melhores múltiplos. Até postei aqui minha última compra que desde então já se valorizou 32%.

Ocorreu que com o enxugamento da carteira os aportes neste grupo não mais serão executados, Porém não pretendo vender as cotas atuais pois preço médio está muito bom. Mesmo assim resolvi avaliar os números do grupo e postar aqui para possíveis interessados. Irei apenas colocar as tabelas e gráficos para os próprios colegas investidores tirarem suas conclusões.

De qualquer forma, mesmo com a eliminação da Dimed da lista de ativos monitorados, estarei investido no setor de farmácias através da aquisição de ações do grupo Ultrapar que é controlador do grupo Extra-Farma.

Desempenho da Dimed


Alavancagem da Dimed


Abaixo transcrevo um interessante artigo (um pouco antigo mas esclarecedor sobre a política atual do grupo) à respeito do grupo Dimed retirado do portal Valor Econômico:

A Dimed, empresa gaúcha que atua no setor farmacêutico, foi fundada há 38 anos e há 35 tem ações negociadas na bolsa. Apesar de listadas, as ações da empresa possuem liquidez mínima - ainda assim os papéis estão no radar dos investidores.

 A Investidor Profissional (IP), gestora de recursos carioca, é sócia da empresa há 10 anos. Ano passado, a BR Pharma, rede de farmácias comandada pelo BTG Pactual, tentou comprá-la. E propostas de aquisição já chegaram também do exterior, conta o presidente Julio R. Mottin Neto.

 "Um grupo estrangeiro fez uma oferta, mas ela não foi condizente com a perspectiva que enxergamos para a companhia no futuro. Acreditamos muito no negócio", afirma o executivo.

 O alinhamento estratégico entre os acionistas mais antigos - três famílias que comandam a empresa e a IP - foi selado em janeiro, com a assinatura de um acordo de acionistas. Pelos termos, em um prazo de cinco anos, se algum dos quatro grupos de acionistas decidir vender ações terá de contar com a aprovação dos outros três, que têm preferência para a compra dos papéis. A única exceção está no caso de a IP ter de atender a solicitações de resgate de seus cotistas. Quando a gestora iniciou o investimento em Dimed, a ação ON valia cerca de R$ 5 e a PN, R$ 4. Atualmente, ajustados por dividendos, os papéis estão valendo R$ 139 e R$ 100, respectivamente.

 A Dimed reúne 290 farmácias (a rede Panvel, que é líder no sul do país), além da distribuidora de medicamentos (que leva o nome Dimed) e de laboratório que apoia a operação de marcas próprias (Lifar). Atua no Rio Grande do Sul, onde é líder de mercado, Santa Catarina e Paraná.

Ano passado, a receita líquida da Dimed cresceu 13% em relação a 2010 e somou R$ 1,34 bilhão. O lucro líquido teve alta de 22% para R$ 37,4 milhões.

 O negócio da empresa mistura drogarias com a produção própria de itens de higiene e beleza. Foi a primeira rede de farmácias do país a comercializar marca própria em suas lojas, em 1989. Desde 2007, esses produtos são vendidos também pela internet - filão que a empresa também pretende explorar com as suas linhas de produtos de beleza a preços baixos.

 A empresa quer focar ainda seu crescimento orgânico no varejo por localidades da região Sul, sem grandes preocupações em transformar-se em um ator nacional. Crescer via aquisições está praticamente descartado.

"O setor de farmácias ainda tem muita informalidade. Há redes com passivos tributários e trabalhistas, que não justificam os preços pedidos pelos donos", afirma Mottin Neto.

 Por ser uma companhia aberta e com balanços auditados, a Dimed acaba atraindo a atenção dos concorrentes. "Nesse segmento informal, já temos a casa de pé, por essa razão somos também muito cortejados", diz.

 Uma oferta de ações e a adesão ao Novo Mercado, principal nível de governança da bolsa, também já foram oferecidos à empresa pelos bancos de investimento. Mottin Neto acredita que isso pode acontecer, mas ainda não é hora. "Daqui a dois ou três anos, talvez."

 A razão para a empresa dispensar alternativas de financiamento para crescer também nacionalmente está na crença de que o processo de consolidação do setor de farmácias no Brasil ainda levará alguns anos.

"Não vejo necessidade imediata de captar. Temos recursos próprios e vamos continuar crescendo assim. O nosso foco é a manutenção da qualidade de nossas lojas", diz o executivo. Ele destaca que, enquanto nos Estados Unidos as cinco maiores redes concentram 80% do mercado. No Brasil, as cinco maiores têm 20%.

 A opção pelo crescimento cuidadoso nas lojas Panvel vem de uma percepção dos executivos de que a classe C que ascende no consumo brasileiro não quer apenas comprar mais, mas também usufruir de bons serviços.

 "O nosso foco na qualidade do atendimento, na escolha dos pontos para as lojas e na logística vem da observação que, no varejo, quem cresceu demais e não manteve o cuidado em serviço teve problemas e está fazendo o caminho inverso", afirma. Ele cita como exemplo os supermercados hipermercados, que estão agora querendo focar em lojas de menor porte. A intenção da empresa é aprimorar a sua rede farmácias, que hoje representa 70% de suas receitas.

 "O atacado mantém as taxas, enquanto o varejo tem mais possibilidades de crescimento. Além disso, nessa operação em farmácias o pagamento é à vista e não a crédito, como no atacado, em que há risco maior", diz.

 O empecilho para a expansão tem sido a dificuldade de encontrar bons pontos para abrir as lojas. Mottin Neto conta que antes as farmácias vendiam basicamente medicamentos e produtos de higiene. Agora, aumentaram a oferta para itens de perfumaria e cosméticos. "Cada vez mais atendemos ao mercado de beleza. Esse novo mix obriga as farmácias a ter área física maior", explica.

 A exigência da empresa em buscar pontos que considere como excelentes para seu negócio tem sido uma crítica dos analistas à capacidade atual de expansão. O questionamento é se a empresa não deveria abrir mão um pouco de suas exigências para ampliar suas receitas mais rapidamente.

 Na avaliação da Dimed, o cuidado na escolha dos pontos explica-se pelo fato de que uma farmácia pode demorar em média dois ou três anos para dar retorno ao investimento. Como o tempo de maturação é demorado, se o ponto escolhido for ruim, poderá pesar para os negócios.

 "Tamanho grande não significa necessariamente boa rentabilidade", afirma Mottin Neto, reforçando que enxerga boas perspectivas para crescer regionalmente. Por enquanto, tem fechado parcerias para abrir farmácias em redes de supermercado e postos de combustíveis.

 Os passos inicias da consolidação, ele explica, ao contrário de serem fonte de preocupação têm favorecido os negócios. A BR Pharma adquiriu no sul a Mais Econômica, principal concorrente da Panvel.

 "Para nosso negócio, a aquisição foi muito boa. A concorrência agora tem de estar no mercado formal com nós e estamos e já estamos recuperando margens em algumas localidades do interior", diz. Na mesma avaliação, ele acredita que a profissionalização do segmento levará as pequenas a desaparecer, abrindo espaço no mercado. 


Por Ana Paula Ragazzi
Fonte: Valor Econômico 29/05/2012

12 comentários:

  1. Grande Uó,
    Estou muito enrolado nas últimas semanas e tive que deixar a blogosfera de finanças de lado por um tempo. Mas passei aqui apenas para dar os parabéns para Sr. e Sra. Uó pelo nascimento do pequeno Uó.
    Parabéns! Desejo muita saúde, paz e felicidades para a família que se forma a partir de agora.
    Espero que desfrutem do sucesso e prazer de algo indescritível que o acompanhamento do crescimento dos rebentos.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. E.I.
      Muito obrigado por estas felicitações, você que já tem filhos sabe que este "ativo" não tem valuation, rs.
      Grade abraço e apareça mais.

      Excluir
  2. Muito bom ativo aparentemente. Alem da ultrapar, nao tenho outro ativo do setor de saude no meu acompanhamento...vou ver se estudo um pouco essa....vlw!!

    ResponderExcluir
  3. Concordo 100% com você Uó. Ninguém vive sem medicamentos. É comprar ou comprar. Pensei em incluir a RADL3 na minha carteira, mas como já invisto nesse segmento indiretamente por meio da UGPA3, (Extrafarma) mudei de ideia.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo nascimento do seu filho! Muita saúde para ele!

    Um abraço,

    ResponderExcluir
  5. As margens desse segmento são muito baixas, sei que é característica do setor mas não me agrada.

    ResponderExcluir
  6. Tive um sonho doido. O gênio da lâmpada me dizendo que durante 30 dias eu poderia comer as mulheres que quisesse, desde que citasse um nome diferente por dia e que teria 30 segundos para falar todas, caso contrário perderia. hahaha. Acordei e tentei praticar. Saiu assim :
    1) Juju Salinemi
    2) Angel Lima (a sósia e porn actress)
    3) Babi Rossi panicat
    4) Nicole Bahls
    5) Sabrina Sato
    6) Vivi Fernandez
    7) Bruna Ferraz
    8) Julia Paes
    9) Alexis Texas
    10) Jada Stevens
    11) Luciana Salazar
    12) Maria Eugenia Rito
    13) Dana Fleyser
    14) Sabrina Pattinato
    15) Florencia Tesouro
    16) Viviane Araújo
    17) Carol Narizinho
    18) Jynx Maze
    19) Johanna Maldonado
    20) Esperanza Gomez
    21) Evangelina Anderson
    22) Márcia Imperator
    23) Monica Mattos
    24) Naomi Russel
    25) Franceska Jaimes
    26) Phoenix Marie
    27) Lisa Ann
    28) Jayden James
    29) Ticiana TV Diário
    30) Carol Nakamura

    ResponderExcluir