terça-feira, 1 de julho de 2014

Tags:

Comportamento do Mercado - Junho/2014


O IBOV em junho/2014 apresentou alta de 3,76% o que leva a uma valorização de 3,22% no semestre. No gráfico ao lado podemos ver que os setores elétrico (6,86%), financeiro (5,36%) e consumo (4,51%) foram os mais fortes no mês, por outro lado os setores imobiliário (2,36%), industrial (2,28%) e de materiais básicos (-0,08%) foram os mais fracos. Apesar desta expressiva valorização o índice chegou a apresentar alta de 7,73% no dia 18/06 mas acabou perdendo fôlego nos últimos dias do mês.

Já o IFIX apresentou uma alta mais tímida de 1,34% no mês o que leva a uma valorização de 0,94% no semestre. No gráfico ao lado temos o comparativo IBOV x IFIX ao longo do mês de abril.

A renda fixa no mês apresentou valorização de 0,35%. O gráfico ao lado mostra o rendimento consolidado das NTNBs 2019 e 2035 da carteira. No dia 04/06 houve um pico negativo de -1,23% e no dia 27/06 um pico positivo de 1,17%.

Através do gráfico ao lado é possível confrontar o desempenho da carteira de ações com o IBOV. Notamos que na maior parte do mês o índice apresentou desepenho muito superior à carteira chegando a uma diferença de 4,28% no dia 18/06, porém a diferença caiu para 1,25% no último dia. A valorização da carteira de ações no mês foi de 2,42%

No gráfico ao lado é possível confrontar o desempenho da carteira de FIIs com o IFIX. Notamos que na maior parte do mês o índice apresentou desepenho inferior à carteira. A valorização da carteira de FIIs no mês foi de 1,61%.

Pelo gráfico ao lado verificamos através da linha verde a valorização geral das carteiras de 1,97% muito influenciada pelos ativos em renda variável que correspondem a aproximadamente 75% dos investimentos.

2 comentários:

  1. Fala Uó...

    Quando você diz "a renda fixa no mês teve valorização de 0,35%..." quer dizer a resultante de suas NTN-Bs e nos respectivos pesos?

    O CDI deu 0,82%, o que fez a LCI do PINE a 101,5% do CDI render 0,832%. Um bom rendimento se não nos esquecermos da isenção de IR.

    Penso que para curtos prazos, deixando o dinheiro render até novas janelas de oportunidades na RV, as LCIs são interessantes produtos, menos voláteis que o TD. O que pensa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isto mesmo s guarda, a resultante.
      para o curto prazo as LCI são uma boa sim. TD tem que se rpara prazos maiores que 5 anos penso eu. Hoje só voltaria a aportar nos TDs caso as taxas votlarem para níveis superiores a 7% como ocorreu no início do ano.
      aqui está faltando dinheiro para aportar em função dos gastos que estou tendo com gravidez/parto/nenem. minha empresa também deu uma baixa de faturamentos neste meio de ano e estou com dois salários atrasados, então praticamente não aportei nestes dois últimos meses. se tivesse sobrado dinheiro teria colocado em um LCI de 3 a 6 meses com certeza.

      Excluir