sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Tags:

Investindo na Bolsa Brasileira


Como pode ser visto no levantamento do nosso colega Gringolândia, o investidor pessoa física continua fugindo da bolsa brasileira. Desde a crise de 2008 a galera vem desistindo do mercado de renda variável. Por que nós aqui na blogosfera estamos na contra-mão deste fluxo? Por que os gringos continuam entrando? Nem mesmo as nossas instituições financeiras estão apostando na bolsa, por que? Neste ano que passou apenas os estrangeiros aumentaram participação, será que estamos presenciando aquela situação onde quem está pode dentro do negócio o enxerga pior do que é e quem está por fora o enxerga melhor do que é? Estas são as questões que deixo para os colegas responderem.


26 comentários:

  1. Projeto CPF Zero é um sucesso sem dúvida.

    ResponderExcluir
  2. “Be Fearful When Others Are Greedy and Greedy When Others Are Fearful”

    ResponderExcluir
  3. Uó,

    Acho que o ideal é investir sempre em empresas boas. Na expansão ou na recessão, o importante é não ficar de fora da Bolsa.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Uó, tenho um palpite! Lembra deste texto do FI?

    http://www.financasinteligentes.com/2014/03/3-bolas-na-cacapa-em-uma-so-tacada.html

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que se aplica ao momento atual. Obrigado por compartilhar.

      Excluir
  5. Uó, o fato do dólar estar subindo é favorável para o estrangeiro. Além disso ele encontra uma bolsa subvalorizada, o que em conjunto gera uma oportunidade dupla!

    Já o investidor pessoa física está com Dilmofobia, não acredita num país que insiste em mudar regras após ter começado o jogo, faz maquiagem de números e apenas é expert em "jogar pra galera". Nos últimos meses a segurança da RF aliada à subida da taxa de juros afastou esse investidor da RV para a RF.

    E você, Uó? O que pensa?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guardião,

      O problema é que a RF não é tão segura assim. Collor que o diga... Eu ainda acho que o ideal é investir em tudo. RF, RV, moeda estrangeira e ter pelo menos um teto próprio para morar.

      Abraços.

      Excluir
    2. I.L., nada é seguro, mas algumas modalidades são mais seguras que outras. Diversificar é bom, mas também não é fácil fazer.

      Excluir
    3. Seu guarda, eu acho que as pessoas físicas tomaram um golpe tão grande com o fim do boom das commodities que ficaram atordoadas. Mas este movimento de saída uma hora vai reverter. Sigamos aportando.

      Excluir
    4. Concordo com o Guardião, dólar em queda e dólar em alta geram oportunidade dupla. Olhar o gráfico da petrobras em R$ é muito diferente do desenho do dos ADRs em US$.
      Os estrangeiros estão vindo porque mesmo que a bolsa está barata em R$ e muito mais barata em US$.
      Os brasileiros estão saindo porque as notícias são pessimistas e a cultura no Brasil é seguir as notícias que sempre mandam se afastar da bolsa quando está caindo e comprar quando está no topo.

      IL, uma coisa é o que é certo fazer, e entendo que nós da blogosfera estamos apostando numa estratégia de estar posicionado em RV em qualquer circunstancia (e comprando), mas não é isso que acontece na prática, principalmente no Brasil onde a cultura de RV é quase inexistente.

      Abraços

      Excluir
    5. leia-se "bolsa em queda e dólar em alta"

      Excluir
    6. concordo. vc ainda mantém a posição de investir no exterior mesmo com o dólar em alta E.I?

      Excluir
    7. Uó, meu objetivo não é de ter investimentos no exterior, mas de manter uma reserva no exterior, em moeda forte.
      Não fiz mais remessas porque não tem sobrado muito dinheiro, mas tenho comprado um pouco de papel moeda, aos poucos.
      O dólar está em alta em relação ao passado, mas e em relação ao futuro, está alto ou baixo? Isso é uma pergunta que não temos como responder, então o melhor é comprar aos poucos e sempre.
      Investir, propriamente dito, no exterior é algo mais complexo, pois envolve, além de outras coisas, um pouco de trade com o cambio. Se a pessoa pretende se mudar para o exterior, vale a pena começar a acumular patrimônio atrelado a moeda estrangeira, mas se não, eu acredito que vale apenas montar uma reserva menor em moeda forte para uma eventualidade de "venezuelização" deste país.

      Abraços

      Excluir
    8. EI,

      Sem dúvidas amigo! Nós somos a nata da sociedade nessa questão de investir na Bolsa, rs. Eu, pessoalmente, pretendo dividir meu patrimônio em 2/3 em renda variável e 1/3 em renda fixa. Como a RV paga mais, ela tem que ter um peso maior. E a RF, apesar de tudo, é aquele "porto seguro".

      Abraços.

      Excluir
  6. Concordo com o Zé Mobral (aliás, Zé, você podia permitir comentários anônimos no seu blog. Já deixei de comentar lá por causa disto).
    Acresço ao raciocínio de que lá fora os juros reais estão negativos. Já aqui, a recessão que começa a correr solta não só exige, racionalmente, um maior conservadorismo nas alocações, como acaba por encurtar a grana de muitos investidores e, indiretamente, investidores institucionais (ex. fundos de previdência).
    Uó: larga esse "mini" e vai cuidar de sua empresa, sua saúde e seu filho. Ele vai lhe deixar tenso, louco e no final, se lhe der lucro, vai ser uma porcaria que não compensa o stress.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, em respeito a pessoas de seu gabarito os comentários estão liberados!

      No mais, não sou o "Zé" Mobral, apenas um que admirava muito o mesmo.

      Excluir
    2. Guardião, tem que ser inocente pra não saber que este é o Troll disfarçadinho de anon pra não tomar soco na cara!

      Excluir
    3. Na verdade tinha tempo que estava pra liberar o acesso e havia me esquecido!

      Excluir
  7. Sempre diversificar, ja que a economia passa por ciclos(Robert k).
    E também por termos um governo FDP...

    Abraço
    Bagual

    ResponderExcluir
  8. Todo investidor deve ter uma parcela em RV. A economia é feita de ciclos, nada anormal até agora.

    ResponderExcluir