quarta-feira, 20 de abril de 2016

ENBR3 - EDP Energias do Brasil: Crescimento, Patrimônio, Receita, Lucro, Margem, ROE, Caixa e Dívida


Ontem publicamos aqui a história, estrutura societária e composição acionária da EDP Energias Brasil. Hoje iremos detalhar a evolução do patrimônio, receita, lucro, margem, ROE, dívida e caixa da empresa.

No quadro abaixo temos o crescimento dos principais múltiplos fundamentalistas. A coluna "12 Tri" apresenta o crescimento percentual do trimestre 4T2015 em relação ao trimestre 4T2012. A coluna "8 Tri" apresenta o crescimento percentual do trimestre 4T2015 em relação ao trimestre 4T2013. A coluna "4 Tri" apresenta o crescimento percentual do trimestre 4T2015 em relação ao trimestre 4T2014. A coluna "Último Tri" apresenta o crescimento percentual do trimestre 4T2015 em relação ao trimestre 3T2015.


Notem que os principais múltiplos de desempenho (Lucro, Margem e ROE) apresentam excelentes percentuais de crescimento se comparando o último trimestre de 2015 com os trimestres anteriores.

Patrimônio, Receita, Lucro, Margem e ROE

O quadro abaixo apresenta a tabulação dos valores de patrimônio, receita e lucro coletados nos últimos 5 anos. Em azul estão os valores obtidos dos relatórios trimestrais e em preto os valores acumulados calculados.


O gráfico abaixo apresenta a evolução do lucro trimestral. As barras em azul apresentam o lucro trimestre a trimestre. A linha laranja apresenta o lucro acumulado em 12 meses, ou seja, a soma dos lucros dos 4 últimos trimestres. Vale destacar que a empresa vem tendo lucros consistentes nos últimos anos.


O gráfico abaixo apresenta a evolução da margem e do ROE. A margem nos dá a relação entre o lucro acumulado nos 12 últimos meses e a receita acumulada no mesmo período. O ROE nos dá a relação entre o lucro acumulado nos 12 últimos meses e o patrimônio da empresa. Podemos verificar que a partir de 2013 a empresa tem apresentado significativo crescimento destes múltiplos.


O gráfico abaixo apresenta a evolução do patrimônio e da receita em 12 meses. É interessante notar que o crescimento da receita tem sido superior ao crescimento do patrimônio. Este é um importante indicador de eficiência operacional.


Dívida e Caixa

O quadro abaixo apresenta a tabulação dos valores de caixa e dívida coletados nos últimos 5 anos. Em azul estão os valores obtidos dos relatórios trimestrais e em preto/vermelho os valores acumulados calculados.


O gráfico abaixo apresenta a evolução das dívidas de curto e longo prazo da empresa. No segundo trimestre de 2015 a dívida de longo prazo teve uma alta significativa. Ainda não tive tempo para analisar o relatório deste trimestre para entender o motivo deste aumento. Farei isto em breve.


O gráfico abaixo apresenta a evolução das dívidas totais e do caixa. Em função do aumento das dívidas a partir do segundo trimestre do ano passado o caixa líquido teve uma queda significativa.


O gráfico abaixo apresenta a evolução do caixa líquido em relação ao patrimônio e ao lucro dos 12 últimos meses. Este gráfico é interessante para monitorar o crescimento dos lucros e dos patrimônio em relação às dívidas.

15 comentários:

  1. Amigo
    Como voltamos a ter inflação relevante no país como deve ser nossa análise frente a um aumento da receita na ordem de 8% por exemplo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O aumento de lucro de 8% e não da receita foi de um trimestre para o outro. No ano o aumento foi de 67%, bem maior que a inflação no período que ficou em 11%.

      Excluir
    2. Entendo, mas coloquei de forma hipotética. Pegando o que falou então, um aumento de receita de 67% versus uma inflação de 11%.
      Você leva em consideração a inflação?

      Excluir
    3. A inflação sempre deve ser levada em conta.

      Excluir
  2. Uo,

    Nada contra mas acho que prefiro EQTL,TRPL... TBLE...

    ResponderExcluir
  3. Uorren Bife,

    A ENBR3 é uma empresa que estudo a muito tempo, procurando conhecer se é uma boa opção. A maior dúvida dos investidores reside no fato da empresa comprar e vender outras elétricas menores.

    Quando questionei no [http://clubinvest.boards.net] fui informado que existia muitas dúvidas sob a empresa, situação que levava a um esforço de estudo muito grande, sendo uma empresa com semelhanças com a EQTL3 no modelo de operação.

    Vejo como uma empresa bem equilibrada, já que gosto muito de elétricas.

    Agora, porque essa empresa possui um número tão elevado de pessoas físicas: 24.658?

    Certa vez, estudando a ENBR3 pediram-me para estudar primeiro o impacto do Fundo de Pensão EDP sobre a empresa. Mas nunca estudei efetivamente esse fundo a ponto de saber o impacto dele na empresa ou verificar se ele possui apenas ações da companhia.

    A verdade é que a EDP de Portugal, controladora da ENBR3, é uma empresa muito bem gerida mundialmente.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda tenho pouco a falar sobre a empresa, comecei os estudos agora, fui atraído pelos bons indicadores, mas temos que análise o macro também.

      Excluir
  4. Uorren Bife,

    Gostaria de seus comentários sobre a EQTL3, empresa que nos últimos anos tem tido crescimento espetacular, mas apresenta uma distribuição muito pequena de dividendos, governança questionável e um modelo de compra e venda de companhias elétricas menores passíveis de dúvidas quanto a consistência dos lucros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho nada a declarar, nunca estudei esta empresa, se sobrar tempo vou dar uma olhadinha.

      Excluir
  5. Mais um belo post Uó!!!!
    Sei que não é o escopo desse texto, gostaria que me respondesse uma dúvida sobre o IR (já vi seus textos anteriores e não achei): tinha uma merreca de PIBB11 que comprei em 2014, num valor aproximado de mil reais +- (valor de compra na época) e declarado normalmente nas declações anteriores. Vendi em julho de 2015 por 940 reais. Sei que a venda de ETF deve ser declarada mesmo se inferior a 20 mil reais, com o pagamento da DARF de 20% sobre o lucro. E no informe do IR da corretora aparece o IR retido na fonte (dedo-duro) dessa operação. O que devo fazer? declarar como prejuízo né? Não tenho que efetuar nenhum pagamento de DARF né?
    Grande abraço e desculpe te importunar com uma pergunta "besta" dessa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, se vc vendeu abaixo do preço de compra então é prejuízo que deve ser declarado para abatimento de lucros futuros. blz?!

      Excluir
    2. Era esse meu pensamento mesmo, mas quando a gente fica na dúvida é difícil acreditar no próprio pensamento hehehe
      Aí tenho que consultar no "pai dos burros" e no mestre Uó! Valeu!!!

      Excluir
  6. Desculpe a ousadia, mas gostaria de sugerir um texto sobre análise de balanços versus inflação : como trabalhar com esses índices e interpretações

    ResponderExcluir