quarta-feira, 18 de maio de 2016

Embraer: História e Composição Acionária


Nesta semana realizei meu primeiro aporte na Embraer (relembre aqui). Já estava namorando esta empresa há algum tempo e resolvi aproveitar o recuo do preço dos papéis para me posicionar com um capital de estudo.

A Embraer é hoje uma das maiores empresas aeroespaciais do mundo. Com mais de 40 anos de existência, a empresa atua em todas as etapas de um processo complexo: projeto, desenvolvimento, fabricação, venda e suporte pós-venda de aeronaves para os segmentos de aviação comercial, aviação executiva, além de oferecer soluções integradas para defesa e segurança.

Já foram produzidos pela Embraer mais de 5 mil aviões, que operam em 80 países, nos cinco continentes, tornando-a líder no mercado de jatos comerciais com até 120 assentos, além da fabricação de alguns dos melhores jatos executivos em operação e da entrada em um novo patamar no setor de defesa.

Mercado de Aviação Comercial

Atualmente, a Embraer tem mais de 56 clientes no mundo todo. Essa abrangência internacional reflete a qualidade de seus aviões e também o fato de que os jatos produzidos pela Embraer se estabelecem como ferramentas essenciais no desenvolvimento da aviação mundial. Cerca de 900 jatos regionais da família ERJ 145 entregues pela Embraer voam hoje em cinco continentes, operados por mais de 30 empresas aéreas. Os E-Jets, com capacidade de 70 a 120 assentos, têm uma função estratégica nas empresas de aviação, auxiliando-as a manter seu posicionamento competitivo.

Fonte: RI

Mercado de Aviação Executiva

O lançamento do jato Legacy 600 em 2000 marcou a entrada da Embraer no mercado de aviação executiva. A experiência da Embraer em projetar aviões para alta utilização acrescenta aos jatos executivos características únicas no mercado, proporcionando aos clientes tranquilidade e alta disponibilidade das aeronaves, com manutenção simplificada. Os jatos executivos Phenom 100, Phenom 300, Legacy 450, Legacy 500, Legacy 600 e Legacy 650, bem como o Lineage 1000, estão posicionados no topo de suas categorias, oferecendo espaço e conforto superiores, desempenho excelente e baixo custo operacional.

 Fonte: RI

Mercado de Defesa e Segurança

A Embraer desempenha um papel estratégico no sistema de defesa brasileiro, tendo fornecido mais de 50% da frota da força aérea brasileira. Cerca de 20 forças aéreas no exterior também operam os produtos Embraer. Uma linha de produtos de defesa baseados na plataforma do ERJ 145, tais como o EMB 145 AEW&C, para Alerta Aéreo Antecipado, o EMB 145 MULTI INTEL, para sensoreamento remoto e o EMB 145 MP, para patrulhamento marítimo e guerra anti-submarino, apresentam excelente potencial de vendas no concorrido mercado de defesa internacional. A empresa oferece também soluções para treinamento e ataque leve com o Super Tucano, sucesso comprovado em todas as aplicações empregadas. Já foram produzidas e entregues mais de 100 aeronaves para a FAB e outras tantas para Forças Aéreas de todo o mundo. Além desses, a Embraer está projetando uma das aeronaves mais modernas e completas de sua categoria: o KC-390.

 Fonte: RI

Serviços Tecnológicos

O segmento de Serviços Aeronáuticos ganhou status de unidade de negócios em 2006, atendendo aos planos e perspectivas de expansão internacional da Embraer, englobando atividades de manutenção das aeronaves, peças de reposição, treinamento e segmentos aeronáuticos. Além das empresas especializadas neste tipo de atividade, Embraer Aircraft Maintenance Services (EAMS) e OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, localizadas nos EUA e em Portugal, respectivamente, a Embraer conta com oficinas próprias e depósitos de peças nos EUA, França, China, Cingapura e Brasil.

História
Fonte: Centro Histórico Embraer

Sonho que Decola

Em 19 de agosto de 1969 foi criada a Embraer – Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A., companhia de capital misto e controle estatal. Com o apoio do Governo Brasileiro, a Empresa iria transformar ciência e tecnologia em engenharia e capacidade industrial.

Além de iniciar a produção do Bandeirante, a Embraer foi contratada pelo Governo Brasileiro para fabricar o jato de treinamento avançado e ataque ao solo EMB 326 Xavante, sob licença da empresa italiana Aermacchi. Outros desenvolvimentos que marcaram o início das atividades da Embraer foram o planador de alto desempenho EMB 400 Urupema e a aeronave agrícola EMB 200 Ipanema.

Ganhando Altitude

Ao final da década de 1970, o desenvolvimento de novos produtos, como o EMB 312 Tucano e o EMB 120 Brasilia, seguidos pelo programa AMX, em cooperação com as empresas Aeritalia (hoje Alenia) e Aermacchi, permitiram que a Empresa alçasse a um novo patamar tecnológico e industrial.

O Brasilia tornou-se importante marco na história da Embraer. Desenvolvido como resposta às novas demandas do transporte aéreo regional, seu projeto utilizou as mais avançadas tecnologias disponíveis à época, estabelecendo novos padrões para a aviação regional, tornando-se o mais veloz, o mais econômico e o mais leve avião de sua categoria.

Turbulência... e Superação

Durante a prolongada crise financeira vivida na primeira metade da década de 1990, a Embraer reduziu consideravelmente o seu quadro de empregados, retardou o desenvolvimento do EMB 145 e cancelou o projeto do CBA 123 Vector.

Finalmente, após longo processo e enfrentando muitas dificuldades, a Empresa foi privatizada em 7 de dezembro de 1994.

A partir daquele momento decisivo e contando com o comprometimento e apoio dos novos acionistas controladores – a Cia. Bozano, Simonsen e os fundos de pensão Previ e Sistel – a Embraer embarcou em profunda transformação cultural e empresarial, que culminou com sua recuperação e retomada do crescimento, impulsionada pelo projeto EMB 145, mais à frente rebatizado como ERJ 145.

Nos anos seguintes, com o lançamento dos novos produtos para o mercado de Defesa, e a entrada no mercado de Aviação Executiva, a Embraer expandiu ainda mais sua atuação no mercado aeronáutico, ampliando receitas e diversificando mercados.

Subida de Alto Desempenho

A entrada em operação da nova família de jatos comerciais EMBRAER 170/190 a partir de 2004, a confirmação da presença definitiva da Embraer no mercado de Aviação Executiva com o lançamento de novos produtos, assim como a expansão de suas operações no mercado de Serviços Aeronáuticos, estabeleceram bases sólidas para o desenvolvimento futuro da Empresa.

Com uma base global de clientes e importantes parceiros de renome internacional, a Embraer vem contribuindo para integrar o mundo pela aviação, diminuindo distâncias entre povos e oferecendo o que existe de mais moderno em tecnologia, versatilidade e conforto em aeronaves.​​

Linha de Tempo
Fonte: Centro Histórico Embraer










































Composição Acionária

O quadro abaixo apresenta os principais acionistas da empresa e o perfil dos investidores.

 Fonte: EconoInfo

12 comentários:

  1. Uó, Admiro muito a empresa Embraer sob o ponto de vista de marca, engenharia, presença global, etc. Não tenho nenhuma vontade de ser sócio de uma fabricante de aviões, por melhor que seja ...
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Cresci vendo a Embraer de desenvolver. Muito bacana o review.

    ResponderExcluir
  3. Empresa de avião nasceu para quebrar, lembra Lírio Parisotto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc está confundindo fabricante de avião com companhia aérea.

      Excluir
  4. Pegamos o mesmo voo neste mês, Uó.
    Esperamos que decole!

    ResponderExcluir
  5. Uó,

    Investindo em Embraer e reclamando da minha sociedade com o Banco do Brasil?

    Assim não dá, rs.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc ler meus comentários no seu post nao vera que eu reclamei da sua compra por ser um banco do governos, reclamei sim de vc falar uma coisa e fazer outra, rs.

      Excluir
  6. Receita em linha de alta porém os lucros variam muito. Ficar atento com o endividamento tem corroído bastante os lucros. Mas no balanço geral parece ser uma boa empresa, apesar de que eu iria de Lockheed Martin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O gráfico dos lucros é uma montanha russa, rs. A Embraer vai bater de frente com a Lockheed agora com o lançamento do KC.

      Excluir