domingo, 10 de maio de 2020

A Filosofia do Chaves: Não Tenha Nada para não Ter Nada a Perder! Só Assim Você Será Livre.

Um tema pelo qual tenho me interessado muito é a Intersubjetividade: a capacidade do homem de se relacionar com o seu semelhante. Jean-Paul Sartre resumiu seu ponto de vista sobre este assunto em uma frase presente na sua peça de teatro Entre Quatro Paredes: “o inferno são os outros”.

Para Sartre, a principal característica do homem é a sua liberdade fundamental. Sendo assim, mesmo alguém mantido sob a pior forma de dominação, no fundo permanece livre em seu ser, em sua consciência. Em outras palavras, um homem jamais conseguirá dominar completamente o outro.

Isto explica, em parte, porque as relações humanas são em geral conflituosas: na presença do outro há um confronto entre minha liberdade e a dele. E porque o outro também é livre, não podemos controlar o que ele pensa e o que ele nos diz. Porém, ao mesmo tempo preciso dele, de seu olhar crítico, ainda que, muitas vezes, esse olhar veja algo em nós que não gostamos.

Esta questão da liberdade dos indivíduos me remete a uma entrevista que vi recentemente no Youtube do Mario Sérgio Cortella. Neste vídeo, o professor discorreu sobre o conceito de ética e liberdade fazendo um paralelo com o seriado Chaves. Irei transcrever na íntegra a sua fala para que o leitor não perca nenhum detalhe:

"No contexto da discussão sobre ética. Você tem que lembrar que o Chaves, o personagem da TV, ele é alguém que se inspirou num pensador clássico chamado Diógenes. Diógenes foi um filósofo grego pós-socrático que morava num barril. Tal como Sócrates viveu solto na praça, discutindo, e o Chaves mora num barril, Diógenes, que era um alguém da escola cínica na Filosofia, morava num barril e vivia nu. Aliás, porque ele não tinha propriedade alguma pra não ser propriedade de nada. Se você já observou na série “Chaves”, ninguém tem animal de estimação naquela vilinha, porque o único ser ali que é um animal de estimação é o próprio Chaves. Segundo, é o único que é livre, o único que pode dizer o que quer, ele não tem nada a perder."


O Cortella só cometeu um pequeno equívoco pois o Chaves não mora no barril segundo palavras dele mesmo:

"Eu não moro no barril, eu só entro no barril porquê... bem, você sabe... pra... "
"Só por esporte."
"Isso!"
(Diálogo entre Chaves e Kiko)


Bom fim de semana a todos!

Ah, abaixo a entrevista citada...

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Como a Crise do Corona Vírus Está me Afetando

Olá colegas!
Tudo bem com todos?
Espero que sim.

Estamos vivendo tempos difíceis, nem preciso entrar em detalhes pois afetou todo mundo: do rico ao pobre, do negro ao branco, até animais acabam sendo afetados. Quem não foi afetado mesmo é a natureza, agora ela está respirando aliviada.

Este será um post rápido só para compartilhar com os senhores o que mudou na minha vida. De vez em quando é bom falar, compartilhar experiências, afinal este é um blog pessoal.


Como a Crise Afetou a Vida Pessoal

 

Confesso que minha vida pessoal não mudou muito. Costumo brincar que estou em quarentena já há anos. Como trabalho em casa desde 2008, então as mudanças foram poucas. Faço parte do grupo dos privilegiados, estes que podem trabalhar em casa. Mas algumas mudanças ocorreram. Antes da crise eu levava o Uozinho para a escolinha logo após o almoço e buscava às 19:00. Agora eu fico com ele até às 16:00 para fazer o homeschooling. Então volto trabalhar e vou até lá pelas 21:00. Considerando que começo trabalhar por volta das 9:00, então são 12 horas por conta de atividades.

A esposa agora também está em home office, não sabemos até quando, mas isto acaba ajudando um pouco pois ela pode ficar com o Uozinho enquanto eu trabalho. A carga de trabalho dela é menor, 6 horas, pois é funcionária pública. Então consegue ficar mais tempo com o Uozinho.

Desta forma estamos ficando praticamente trancados dentro de casa, saindo apenas para fazer compras de alimentos. Moramos com a mãe da esposa, idosa, e o Uozinho é asmático, então todo cuidado é pouco.

Como a Crise Afetou a Vida Profissional


Estou produzindo menos desde que a crise começou, antes eu até conseguia trabalhar umas 10 horas por dia mas agora tenho acordado mais tarde além de esta ficando mais tempo com a família. Tenho então trabalhado em torno de 8 horas. Destas 8, acabo ficando umas 2 horas nos sites e me sobra 6 horas para me dedicar à minha empresa. Não posso trabalhar menos que 6 horas nos projetos da empresa pois senão começo atrasar as entregas e os faturamentos, o que não é bom. No fim de semana ainda consigo trabalhar mais algumas horinhas então acaba compensando um pouco a redução de trabalho durante a semana.

Do ponto de vista dos projetos da empresa, a crise ainda não afetou o andamento dos trabalhos. Meus clientes atuais são grandes siderúrgicas e continuam operando, apesar de terem reduzido a produção, com o abafamento de alto-fornos.

Temos atualmente quatro projetos em andamento. Meu sócio está lidando com dois e eu com os outros dois. São dois projetos grandes de dois pequenos. Então temos trabalho para pelo menos os próximos 6 meses.

Como a Crise Afetou a Vida Financeira


Quando a ficha caiu o mercado deu o recado. Foi fulminante. Nunca se viu tantos circuit breaks seguidos nas bolsa. Até os gestores mais experimentes não estavam entendendo nada. Não existia precedente, perdeu-se as referências.

Aqui não foi diferente, a queda patrimonial foi significativa, no ápice da crise, lá pela última semana de março, estava vendo uma queda de cerca de 700 mil reais no patrimônio, mas agora melhorou um pouco. Meu prejuízo só não foi maior porque em janeiro vendi parte das minhas ações para comprar um carro novo, cerca de 140 mil reais, então consegui "salvar" um pouco.

Agora estou fortemente posicionado em bolsa novamente, última vez que me vi nesta situação de alocação quase 100% foi em fevereiro de 2016. Daqui pra frente todo dinheiro que sobrar vai para bolsa, sem pensar duas vezes. Quando a economia normalizar aí vou parar os aportes na renda variável, enquanto estiver tudo fodido vou continuar comprando.

Os sites continuam pagando bem, verifiquei uma queda de 30% no CPC mas o tráfego continua alto. Graças à alta do dólar neste mês de abril tive o maior recebimento do Google até hoje, 22 mil reais e uns quebrados, não foi o maior rendimento em dólares mas foi em reais. Este dinheiro cai hoje no banco e será devidamente distribuído entre 2 corretoras. Comprarei BOVA11 e algumas ações. Não tenho FIIs mais, só ações small caps e BOVA11.

Grande abraço!
Saúde e paz para todos!
Bons investimentos!

terça-feira, 31 de março de 2020

Quanto Preciso Poupar para Aposentar?

Considerando que precisarei de 2 mil dólares por mês para viver dignamente bem na minha idade senil e considerando que irei iniciar minha poupança para aposentadoria no dia de hoje aos 45 anos (não é o caso mas estou apenas fazendo um exemplo didático), considerando também que não quero deixar dinheiro para herdeiros (ficarão apenas com os bens - o que já está de bom tamanho), e considerando que viverei até os 100 anos, então a planilha é a seguinte:

Idade Poupança em Dólares
45 24000
46 48000
47 72000
48 96000
49 120000
50 144000
51 168000
52 192000
53 216000
54 240000
55 264000
56 288000
57 312000
58 336000
59 360000
60 384000
61 408000
62 432000
63 456000
64 480000
65 504000
66 528000
67 552000
68 576000
69 600000
70 624000
71 648000
72 672000
73 648000
74 624000
75 600000
76 576000
77 552000
78 528000
79 504000
80 480000
81 456000
82 432000
83 408000
84 384000
85 360000
86 336000
87 312000
88 288000
89 264000
90 240000
91 216000
92 192000
93 168000
94 144000
95 120000
96 96000
97 72000
98 48000
99 24000
100 0

Ou seja, preciso poupar 24 mil dólares por ano até completar 72 anos. Depois disto é só ir sacando 24 mil dólares por ano até os 100 anos de idade.

Me conte aí qual é a sua estratégia para aposentadoria. Dividendos de ações? Aluguel de imóveis? Tesouro Direto?

Depois desta crise aprendi que "cash is king!" rs


terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Planilhas de Controle: Uma Hora Você Não Vai mais Precisar Delas

Eu já fui o rei das planilhas, era assim que minha esposa me chamava quando me conheceu. Eu tinha planilha para tudo, de controle de gastos a controle do crescimento do filho. Mas já tem uns dois anos que eliminei todas as planilhas da minha vida. Minto, sobrou apenas uma: a de rendimentos para fins de imposto de renda.


No inicio da minha vida adulta a planilha de controle de gastos se tornou indispensável para minha reorganização financeira. Era uma planilha bem detalhada (veja aqui), e me divertia em controlar até os centavos que deixava para o flanelinha.

Depois vieram as planilhas de controle de rendimentos. Meu Deus, eu ficava ansioso para a chegada do último dia do mês para fazer o famoso "fechamento mensal". E foi por isto que criei este blog anos atrás, para divulgar meus fechamentos e participar de rankings de rentabilidade. Também era muito divertido fazer aquilo, até ver que isto não passa de um "game" sem sentido.

E chegou um dia que não vi mais necessidade para fazer estes controles. Chega-se em um ponto da vida que você entra em modo "voo de brigadeiro". Para de sentir turbulências, e a única coisa que precisa é ligar o piloto automático.

Se me perguntar quando gastei nos últimos dois anos... não sei. Se me perguntar qual foi minha rentabilidade de investimentos nos últimos dois anos... também não sei. E quer saber? Isto não faz mais a menor diferença para mim.

Mas caso você esteja iniciando sua vida financeira, caso não tenha nenhuma ideia para aonde seu dinheiro está indo, recomendo fortemente que tenha pelo menos uma planilha de controle de gastos, e torne sistemático o hábito de registrar suas despesas e rendimentos até o momento que sua vida entrar em piloto automático e não precisar mais daquilo.