sábado, 20 de fevereiro de 2016

Gastos de um Casal com um Filho


Uozinho e Srta. Bife

Ter um filho é algo indescritível, só quem tem sabe o quão gratificante é. Mas a chegada de uma boquinha a mais na casa muda todo o orçamento familiar. A grande questão que surge é quanto custa criar um filho, desde a geração até a fase adulta? Quando um casal decide ter um filho deve saber que durante os 25 anos seguintes uma boa quantia em dinheiro deverá ser desembolsada. Segundo estatísticas, essa quantia pode variar entre R$ 200 mil e R$ 2 milhões, de acordo com os objetivos de investimento para o futuro e condição econômica da família.

Até o Nascimento

Bem antes de nascer o filho já começar gerar gastos para os pais. São remédios que a mãe precisa tomar, consulta e exames durante o pré-natal, reforma na casa, compra de mobília/decoração do quarto do bebê, etc. Quando o filho é planejado os pais já se preparam antes para estes gastos, mas quando a gravidez vem de surpresa, os pais precisarão da ajuda de amigos e familiares para lidar com o orçamento, principalmente se forem solteiros.

Até os 5 anos

Os primeiros gastos que um filho demanda após o nascimento são sobre vestuário, farmácia e itens de higiene. Entre os gastos essenciais estão médicos, remédios, vacinas, fraldas, cremes, roupas, carrinho e cadeirinhas. Entre os opcionais, estão os brinquedos, babá eletrônica, berços e banheiras desmontáveis. Deve-se considerar também gastos com babá e escolinha maternal que costumam ser os mais pesados.

Até os 10 anos

A partir dos 5 anos a criança costuma ter desejos mais concretos. Atualmente, algo comum é o desejo por aparelhos eletrônicos. Cursos extracurriculares, como de idiomas, também costumam pesar no orçamento. Podem entrar no orçamento também escolinha de esportes como futebol e judô, curso de natação, etc.

Até os 15 anos

Na adolescência são adicionados gastos de lazer como cinema e passeio a shoppings, por isso as mesadas passam a ser comuns. Outros dos gastos podem incluir desde planos de telefonia e cotas em clubes.

A partir dos 15 anos

Durante essa idade, o adolescente começa a pensar sobre qual carreira seguirá. Custos com faculdade, pós-graduação e transporte podem surgir. Entre os custos opcionais está o intercâmbio no exterior. Para as famílias que moram no interior pode pesar também os custos com moradia para manter o filho estudando em uma capital, por exemplo.

Os Primeiros 20 Meses do Uozinho

Aqueles que me acompanham aqui no blog sabem que tenho um filho (relembre aqui). O Uozinho foi muito desejado mas exigiu muito planejamento e esforço até nascer. Ele é o que se costumava chamar antigamente de “bebê de proveta” já que foi gerado em laboratório através da técnica de fertilização in vitro. Graças a Deus ele nasceu saudável e é uma criança muito forte e inteligente. A cada dia que passa nos presenteia com novas habilidades e novas observações do mundo que o cerca.

Queria ficar falando do Uozinho mas o objetivo mesmo deste post é deixar aqui alguns números próprios que podem servir de referência para futuros papais e mamães se planejarem melhor para a chegada de uma criança. No gráfico abaixo mostro a evolução dos gastos desde o momento que demos início ao planejamento do nosso filho. Não estão incluídos todos os gastos da casa, apenas aqueles que tem relação direta com o planejamento da criança.


Como pode ser visto no gráfico acima, o planejamento foi iniciado em janeiro de 2010. A partir dali os gastos foram aumentando até chegar na média atual que está em torno de R$ 3.000 (linha pontilhada mais escura). Abaixo irei detalhar cada item deste orçamento, começando pelas despesas com gravidez e parto visualizadas no próximo gráfico.


Logicamente, como o Uozinho já nasceu, não temos mais estas despesas, mas até o seu nascimento foram as despesas mais pesadas do orçamento. No que diz respeito à gravidez, como optamos por fazer a concepção em clínica particular, foi necessário gastar algo em torno de R$ 30.000. Tivemos a sorte de conseguir logo nas primeiras duas tentativas mas tem casais que fazem até mais de 10 tentativas. Considerando que este processo custa hoje em média R$ 15.000 por tentativa, então é um valor considerável a se considerar. Para os casais que conseguem e gravidez por métodos naturais então é um valor a menos no orçamento, irão gastar apenas com exames e remédios durante o pré-natal.

Outra questão que deve-se ficar atento é quanto ao parto. Se o casal já tem um bom plano de saúde então não há muita preocupação, pode fazer o parto com o plantonista do hospital ou agendar com seu obstetra. Porém, como ocorreu no nosso caso, se o parto for de emergência então o obstetra irá cobrar por fora o valor do parto. Este valor saiu para nós em torno de R$ 7.000. Além disto, como nosso plano de saúde é de enfermaria, para ficarmos em um quarto separado no hospital foi necessário pagar à parte algo em torno de R$ 1.000 por duas diárias.

Logo abaixo apresento a evolução dos gastos com farmácia. Dentro destes gastos estão incluídos remédios, itens de higiene, fraldas e leite em pó.


Estes gastos começaram a aumentar durante o tratamento de gravidez. Tiveram um pico no mês em que o Uozinho nasceu. Atualmente estamos gastando em média R$ 700 por mês. A tendência é este valor diminuir quando não for mais necessário comprar fraldas e leite em pó, estes gastos são os que mais pesam (relembre aqui).

Quando se decide ter um filho é importante checar a questão do plano de saúde. Se o casal não tem um então é importante fazer. Nosso plano de saúde é particular mas não é um super plano (UNIMED Unipart Flex), porém nos atendeu bem durante a gestação e tem atendido agora para as consultas com pediatra. Como pode ser visto no gráfico a seguir, estamos pagando em média R$ 550 por mês para dois adultos e uma criança, incluindo plano dental para os dois adultos.


Muitos consideram Seguro de Vida um item opcional no orçamento familiar mas eu considero um item essencial. Já pensando na segurança financeira da família, contratei um plano para mim em janeiro de 2011. Em julho de 2012 contratamos também um para a esposa. Atualmente estamos pagando R$ 543 pelas duas proteções. A empresa escolhida para os planos foi a Prudential.


Quando a licença maternidade da mãe termina é que começam as grandes angústias do casal. E agora, quem irá cuidar da criança?! Antigamente isto não era uma preocupação já que a maior parte das mães não trabalhavam, mas hoje em dia a realidade mudou. E encontrar uma pessoa de confiança para cuidar do seu maior bem custa caro. Aqui tivemos a sorte de contar com um familiar para disponível. Não é um favor, estamos pagando mensalmente como se fosse uma pessoa de fora da família, mas isto nos dá uma segurança maior. Gastaremos em média R$ 1.500 mensais neste ano de 2015 com a babá. Ano que vem pretendemos colocar o Uozinho na escolinha em meio período, então estes gastos com cuidadora/escola devem aumentar um pouco.


Finalmente temos os gastos diversos que incluem vacinas, vestuário, brinquedos, festinhas, etc. Até que não estamos gastando muito pois estamos usando roupinhas de primos do Uozinho e raramente compramos presentes. Festinhas também não estão nos planos. O maior gasto está sendo com as vacinas particulares. Para maior proteção da criança estamos aplicando vacinas pagas que são bem caras, só a última custou R$ 600 a primeira dose.


Bom fim de semana, curta sua família, sua maior riqueza!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Dividendos Gordos

Nunca recebi dividendos tão gordos, como minoritário não sei se isto é bom ou ruim. Alguém tem opinião a respeito?