domingo, 16 de fevereiro de 2014

Tags: , ,

Troféu Graham e Moedinha Batizada do Eike: Rentabilidade dos Pequenos Investidores em Janeiro/2014




Continue lendo

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Tags: , , , ,

Ações, FIIs e NTNB Principal: Está Tudo Caro!


Contrariando o que todos tem dito nos últimos dias, me atrevo a dizer que o mercado atual não está assim tão atrativo para compras, muitos ativos ainda tem espaço para corrigir mais. Já utilizei metade do aporte do mês para algumas compras pontuais mas sigo aguardando novas correções. Seguem as tabelas de acompanhamento:



Em relação à NTNB Principal 2035 amanhecemos hoje novamente na casa dos 7%, vamos ver como será a evolução desta taxa no decorrer da semana.

Continue lendo

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Tags: , , , , , ,

Índices Financeiros - Janeiro/2014


Pelo menos uma notícia otimista neste início de ano, a inflação oficial do país, aquela mesma mantida sob as rédeas curtas do governo, com mecanismos nada convencionais como o embargo ao preço da gasolina que tem contribuído muito para quebrar a estatal do óleo e gás, aquela mesma medida através do Índice de Preço ao Mercado amplo (IPCA), avançou 0,55% ficando 0,37 ponto percentual abaixo dos 0,92% registrados em dezembro.

No acumulado em 12 meses houve um recuo de 5.91% para 5.59%. O resultado apurado ficou abaixo das estimativas do mercado que estavam entre 0.57%  e 0.74% com mediana em 0.60%. O menor IPCA para um mês de janeiro desde 2009, quando o indicador ficou em 0,48%. Em janeiro de 2013, o IPCA havia sido de 0,86%.

O IPCA deste mês passou a incorporar duas novas regiões. Conforme anunciado em agosto de 2013, a partir deste ano Vitória, no Espírito Santo, e Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, passaram a fazer parte da pesquisa. Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, cinco ficaram abaixo do resultado de dezembro e quatro mostraram aceleração.

A queda do IPCA refletiu também nos juros futuros que fecharam em queda nesta sexta-feira, 7, e registram retrações significativas nesta semana, durante a qual os receios com os mercados emergentes deram uma trégua, apesar de não terem desaparecido de vez.


Os juros futuros começaram a ceder à partir da quarta última em meio a uma conjunção de fatores locais e externos favoráveis à redução dos prêmios. O ambiente global de menor aversão ao risco e o cancelamento do leilão de títulos públicos prefixados abriram espaço para que investidores corrigissem parte dos excessos dos últimos dias.

Na terça feira à noite, o Tesouro Nacional anunciou que não realizaria o leilão de venda de LTN e NTN-F programado para o dia seguinte. O anúncio deu um alívio técnico ao mercado, uma vez que a venda de prefixados tem o mesmo efeito de uma ordem de compra de contratos futuros de Depósito Interfinanceiro (DI), ou seja, joga as taxas para cima.

A forte turbulência que se abateu nos mercados emergentes nos últimos dias havia provocado forte oscilação dos juros futuros, deixando investidores sem parâmetros de preços para negociação dos papéis. O anúncio antecipado do cancelamento do leilão foi uma forma de acalmar os agentes. A estratégia do Tesouro é mostrar ao mercado financeiro que o governo usará seu caixa para administrar a volatilidade e que não pretende estressar ainda mais o mercado.

A avaliação do governo também levou em conta o efeito que a volatilidade nos juros tem sobre os fundos de investimento. Obrigados a ajustar diariamente suas cotas ao preço de mercado, no caso à taxa de juros diária, esses fundos registram perdas significativas quando os juros sobem, o que estimula saques. Boa parte dos títulos prefixados está na carteira de investidores institucionais e fundos de investimento.

A seguir apresento os principais índices econômicos que eu acompanho e sua correlação com meus investimentos no mês de janeiro/2014:




Nesta primeira semana de fevereiro o mercado de ações teve a primeira semana com lucro no ano. Já o mesmo não pode ser dito sobre o mercado de FIIs que continua em franca queda (assunto para um outro post). Com o desempenho desta sexta-feira, o mercado de ações encerrou a semana com lucro de 0,91%, mas ainda contabiliza perdas de 6,67% no ano. Foi a primeira semana de alta em 2014.

Ainda há muita desconfiança dos investidores quanto à condução da política econômica pelo governo. Alguns analistas estão considerando que as quedas recentes já precificaram este cenário e podemos esperar das próximas semanas a continuidade deste repique técnico. Outro fator que tem contribuído para a alta na cotação dos papéis é a diminuição da retirada de recursos dos investidores estrangeiros na Bovespa.

A alta desta semana não se traduz em calmaria no mercado, pelo contrário, a volatilidade deve continuar nas próximas semanas quando a temporada de divulgação de balanços irá se intensificar. Na próxima semana serão ao todo 22 resultados a serem entregues, dentre eles aguardo ansioso: Santos Brasil, Natura, Banco do Brasil e Grendene.

Um bom fim de semana a todos!
Continue lendo