Setor Automobilístico - Crise, Que Crise?!

watch_later sexta-feira, 22 de maio de 2015



Como diz o colega S. Guarda, "carro tem que ser japonês", e o brasileiro embarcou nesta onda...


Os funcionários da fábrica da Honda em Sumaré (SP) têm feito uma hora e 40 minutos de hora extra diariamente. A mudança veio depois da entrada do HR-V na linha de produção. Com isso, o volume diário aumentou de 540 para 652 veículos ao dia, dos quais 240 se referem ao novo SUV compacto. Com a ampliação da carga de trabalho, a fabricante japonesa afirma que a capacidade produtiva anual pode subir de 120 mil para 140 mil carros.

Neste ano, o volume de fabricação do Fit teve que ser reduzido devido à alta demanda pelo HR-V. Segundo a montadora, essa situação será regularizada em 2016 com a inauguração da planta de Itirapina, para onde o Fit será totalmente realocado. No total, R$ 1 bilhão foi investido no espaço, que terá 160 mil metros quadrados. Até o fim do ano, as duas fábricas operarão em dois turnos e somarão 3.500 funcionários.

De acordo com a Honda, a versão topo de linha do HR-V tem 100 dias de espera nas concessionárias. Batizada de EXL, custa R$ 88.700 e é responsável pela maior parcela do mix de vendas. A montadora diz também que a configuração de entrada, LX, de R$ 69.900, tem 30 dias de fila nas lojas autorizadas.

A Honda não é a única a manter boas vendas neste cenário turbulento. A Toyota opera em dois turnos com duas horas extras por dia nas fábricas de Indaiatuba e Sorocaba. De janeiro a abril, a Toyota vendeu 56,7 mil automóveis, 7% a mais que em igual período do ano passado. O mercado total vendeu 861,7 mil unidades, 18,4% menos que em 2014.

Por que Honda e Toyota estão Vencendo a Crise?

Os períodos de crise fazem surgir os verdadeiros campeões. Nos momentos de expansão do mercado, muitos parecem surfar tranquilamente e se beneficiar. Porém, quando os consumidores fogem e se tornam mais críticos e seletivos, as coisas mudam muito. Parece ser o caso do mercado automotivo no Brasil nos primeiros três meses do ano. As vendas de automóveis e comerciais leves tiveram queda de mais de 17% neste primeiro trimestre, com relação ao mesmo período do ano passado.

Mas a queda tem impactado as diferentes marcas em magnitudes muito diversas. Abordando apenas as marcas com maior volume de vendas, notamos que Citroën, Fiat e Volks estão se tornando os grandes perdedores com a diminuição das vendas, respectivamente, de cerca de 47%, 27% e 22%. Já outras marcas, como GM, Renault e Ford, estão perdendo moderadamente: queda de vendas de, respectivamente, cerca de 18%, 15% e 4%.

Mas há marcas que conseguiram não apenas ampliar sua fatia de mercado, como, e mais surpreendente ainda, exibir aumentos reais de vendas. É o caso da Toyota e da Honda, que parecem não sentir a crise como outras concorrentes. Ambas tiveram significativos aumentos em vendas neste primeiro trimestre.

A Toyota, por exemplo, vendeu 41.055 veículos no primeiro trimestre, crescimento de mais de 12% em comparação com mesmo período do ano anterior. Já a Honda, por sua vez, vendeu 32.857 unidades de janeiro a março, também apresentando um crescimento superior a 12%.

O que faz tais empresas conseguirem esses resultados tão expressivos em um período de enorme declínio? Ambas tem estratégias parecidas e sistemas de gestão semelhantes. Vejamos alguns dos elementos que as tornam tão especiais.

Em primeiro lugar, uma obsessão pela qualidade. Embora muitas outras empresas também se preocupam com a qualidade, acabam priorizando garantir os volumes de produção e vendas acima de tudo.

Entretanto, essas duas montadoras levam essa orientação a um novo patamar. Desde que começaram a comercializar e a produzir seus veículos no país, Toyota e Honda lideram as pesquisas de satisfação dos clientes, não apenas com os produtos em si e sua durabilidade, como também com os serviços oferecidos pelas concessionárias e elevado valor de revenda. Além disso, têm uma grande preocupação com a eficiência e custos, além de estabelecer relações de confiança de longo prazo com suas concessionárias e principais fornecedores.

As estratégias de investimentos focalizam em poucos produtos e em baixos volumes, com incrementos graduais, para poder garantir os elevados níveis de qualidade e eficiência e também enfrentar as oscilações do mercado. Desse modo, na contramão do setor, essas duas empresas estão ocupando plenamente a sua capacidade produtiva neste momento e, ainda, estão investindo em ampliações.

Tanto Toyota quanto Honda têm tido uma estratégia consistente de crescimento lento, com foco em valor para os clientes, e no desenvolvimento de capacitação local em manufatura, engenharia etc. Outras empresas cresceram mais rápido e até prosperaram. Mas na hora da crise, as diferenças de estratégia aparecem, e a superioridade do enfoque que valoriza qualidade e uma visão de longo prazo torna-se evidente.

Muitas montadoras têm se dedicado a copiar algumas das técnicas e ferramentas de gestão desenvolvidas pioneiramente pela Toyota, seguidas, em grande medida, pela Honda. E, com isso, têm tido melhorias em seus desempenhos.

Porém, a mudança essencial na filosofia de gestão e no modo de pensar e fazer as coisas ainda não foi feita. Talvez este momento possa ser utilizado para a reflexão e a definição de uma nova etapa no sistema de gestão e na estratégia dessas outras montadoras. Para o bem delas e dos clientes.

Toyota e Honda têm tido seus percalços, equívocos e dificuldades no país. Não são empresas perfeitas, mesmo porque isso não existe. Mas seus desempenhos recentes contrastam radicalmente com o desempenho do setor.

Fonte
avatar

Fala Uó

Além de qualidade superior as duas montadoras japonesas tem mais compromisso com o consumidor. Toyota e Honda não dão problemas. Fique de olho, mas a Nissan também vai subir muito. Carros de qualidade, o pecado da Nissan é no design que não agrada muito!

Já os franceses são fracos... Não me agradam nem um pouco. Tampouco Ford e Fiat.

Volks é o menos mal das marcas não japonesas.

Os coreanos da Hyunday melhoraram muito e são boas opções. Kia é inferior. Chineses só daqui 15 anos pra se considerar.

Abraços!!

delete 22 de maio de 2015 12:27
avatar
Anônimo

Os amantes de carros, ou melhor, os defensores do "prazer de dirigir" adoram criticar honda e toyota, mas não conseguem ver que não existe "prazer em dirigir". Isso é pura invenção de marketing.
Não existe nenhuma diferença entre dirigir (pilotar, kkk) civic, fit, gol, uno, golf, focus etc. Fico imaginando a pessoa dirigindo um focus e tento prazer. kkkkkk. Só rindo.
O que importa em carro é o que a honda e a toyota hoje oferecem. Produto bom com excelente revenda e pós-venda.
Vai tentar passar para frente um focus ou um francês, por exemplo. Se até os honda e toyota não são fáceis de revenda hoje em dia, imagina um carro que nem zero vende bem.
Já tive civic e fit. Hoje minha esposa tem um fit e eu não tenho carro algum. Moro perto do serviço e vou a pé. Mas se tiver que comprar um carro, só compro honda ou toyota. Nem cogito outra marca. Prefiro pagar mais caro para não ter problema com carro do que comprar um veículo cheio de frufrus que vive na oficina.
Lógico que todo carro dá problema, mas as estatísticas não mentem, e os "menos" problemáticos são os japoneses. Fora que quando dão problema, o tratamento do problema é diferente.
Exemplo vivido por mim. O rádio do fit que tive em 2009 pifou. Filmei o problema, apresentei na concessionária e eles trocaram o som. Sem questionamento algum. Vai tentar fazer igual em outra marca.
Estou mentindo? Os números não mentem. Onde não tem crise? kkkkkkkkkkkkk

delete 22 de maio de 2015 14:09
avatar
Anônimo

Só para explicar melhor, eu filmei o problema do som, porque o som falhava e voltava, falhava e voltava. Assim, filmei no momento em que falhou e levei na concessionária.

delete 22 de maio de 2015 14:12
avatar

Caro Uó, estou muito propenso a comprar um HRV desses... adoro carros japoneses.
Mas o meu lado racional fica me lembrando do custo de oportunidade de empatar tanto $$ num carro.
Essa luta tá foda.
Estou até evitando beber, porque se eu tiver um mínimo momento de irracionalidade, eu corro na concessionária e fecho a compra. rs.
Vamos ver como eu vou lidando com esse conflito.

delete 22 de maio de 2015 15:35
avatar

Exemplo abaixo como o brasileiro é burro, pois carro é bem de consumo e não investimento.
Toyota Corola: compra 90K - Revenda 50K
Citroen C4 THP compra 75K - Revenda 35K
ohh os japoneses desvalorizam menos, como eu fui esperto.
Só que não, o Corola perdeu 40K, o mesmo que o francês. Tirando a questão que o francês é mais completo, motor mais potente etc

delete 22 de maio de 2015 16:33
avatar

Compra um Pegeout 2008 THP usado. Já que o brasileiro o desvaloriza mesmo, vais comprar baratinho, sem empatar muita grana e terás o melhor motor do mercado, lógico, tem que gostar de cambiar..

delete 22 de maio de 2015 16:36
avatar
Anônimo

Somos dois. Estou segurando a vontade de comprar o HRv desde que saiu. Respiro fundo e penso no dinheiro mal gasto e sossego. Só não sei até quando, hehe.

delete 22 de maio de 2015 16:47
avatar
Anônimo

putz o cara comparou toyota com citroen.
Tipo comparou Julia Paes com Elke Maravilha para uma noite de prazeres.
Para o mundo que eu vou descer.

delete 22 de maio de 2015 17:01
avatar
Anônimo

Lógica do absurdo o carro da nissan ser bom e o renault fraco. Trata-se da mesma empresa. Nosso compatriota Ghosn é presidente do grupo. Mas concordo que renault é superior a citroen em relação à durabilidade. Os carros alemães, não populares, tem boa durabilidade. Abraço.

delete 22 de maio de 2015 17:07
avatar
Anônimo

rsrsrs.
A diferença é que vc consegue vender o toyota por 50. Já o citroen vc fica com ele achando que ele vale 35.

delete 22 de maio de 2015 17:32
avatar

A diferença caro anom, que é o THP vai enxergar os toyotas, hondas aspirados no retrovisor. O consumidor vai ter esse prazer, principalmente nos manuais rs

delete 22 de maio de 2015 18:01
avatar

Valeu Regra 1 ... é uma boa opção, e talvez financeiramente mais interessante... mas é triste de ver como eu fiquei emocionalmente envolvido com o HRV.

Anon- Adivinha o que eu fiz hoje? fui de volta na concessionária.. e fiquei babando na porra do carro...Que tesão de carro.
Impressionante como a vendedora falou exatamente o que eu li aqui no blog do úo. Inclusive sobre a versão de entrada ter uma fila mais rápida.
Pena que não tem nenhuma versão com teto solar, igual a versão americana.

Depois de ficar mais de 10 min dentro do carro, me recompus, pensei friamente, não fechei negócio e venci a batalha do dia. Vamos ver se eu venço as próximas, rs..

Com a onda de violência, e devido aos manobristas cagarem e andarem para o seu carro, fica muito complicado pagar 80 k...

Grande Abraço aos dois.

delete 22 de maio de 2015 21:07
avatar

Eu tenho uma Grande Cherokee, sim é prazeroso dirigir este carro. Quem fala que dirigir um carro bom é besteira, é por que não pode comprar. Dirigir uma Ferrari é adrenalina pura. Agora, se o assunto é o que eu posso comprar e quanto desvaloriza, o papo é outro realmente. Mas criticar o prazer de dirigir um carro diferenciado, me perdoem, é papo de quem não pode ter um carro melhor.
Também gosto da Hiunday (bom custo x benefício é nunca deram defeito, já tive dois em 8 anos), mas pretendo comprar um Honda na próxima troca, ou uma BMW X5. Em tempo: desde 2010 decidi comprar somente carros usados, com menos de 1 ano de uso e +- 10.000 Km rodados.

delete 23 de maio de 2015 12:40
avatar

Citröen é um lixo, manutenção cara, atendimento muito meia boca - padrão Brasil mesmo. Já tive, dá defeito, peças demoram a chegar. Nunca mais compro um Citröen. E na hora de vender, é um Deus nos acuda! Carro encalha, exceto vender a preço de banana.

delete 23 de maio de 2015 12:44
avatar

Discordo do colega que disse que não há prazer em dirigir. Dirija um audi ou um bmw e me conte como foi. A Toyota realmente tem uma qualidade diferenciada, embora seja cara para os itens de série que oferece. O público da toyota é mais velho, com maior poder aquisitivo. Não sou fã da toyota. Mas, tenho um amigo que está em seu terceiro toyota e não pensa em sair da marca. Já a honda eu não conheço.

delete 23 de maio de 2015 13:05
avatar

Caro Heavy Metal, qual marca as peças não demoram pra chegar? Após uma pequena batida com um Gol, tente ir numa css volks para ver que não tem nem num pára-choque ou retrovisor a pronta entrega! Meu carro é um ford e sei que é normal esperar até meses por alguma peça que não seja de manutenção programada. Também sei todos canais para importar direto dos Eua ou Canadá, que acaba muitas vezes ficando mais barato. Duvido que logo os japoneses, criadores do Just in time, manterá algum estoque.

delete 23 de maio de 2015 14:09
avatar
Anônimo

Discordo.
Prazer de dirigir não existe mesmo. E tenho dinheiro para comprar carro bom, sem financiar.

delete 23 de maio de 2015 14:10
avatar

Bom, esta é sua opinião. Não acredito que você tenha dinheiro para ter um bom carro, como você não acredita no meu prazer em dirigir. Democracia.

delete 23 de maio de 2015 14:28
avatar

A Hiunday melhorou muito, antes eram mais de 30 dias, conseguiram baixar muito este tempo. Mas vc tem razão, moramos em Banânia.

delete 23 de maio de 2015 14:29
avatar

PV,
Discutir com quem torce pro Flamengo, Vasco, PT, PSDB, enfim... perda de tempo discutir assim.
Gosto é igual a *ú, cada um tem o seu! Eu gosto de ter dinheiro, de poder usar meu dinheiro, de poupar, de trabalhar, de viajar, de dirigir um carro mais sofisticado que as carroças brasileiras em geral . Tem quem goste de drogas, políticos, da esquerda, do PT, do diabo... Vá lá saber. Para quem não sabe o que é dirigir, você pode dar uma Aston Martin e o cara vai dizer que é igual o Fiat Palio. Enquanto isso, curta aquilo que você pode ter e aproveitar.
O dinheiro só serve se for fonte de prazer, poupar por poupar e viver infeliz, é burrice. Ou, falsamente feliz e viver como um avarento. Isto é doença. Mas questionar o prazer dos outros? E ainda dizer que isso não existe? Pergunte a atleta profisisonal se após competir no Ironman se ele tem ou não prazer... Saber ou afirmar um sim e não na vida dos outros é fácil, é isso que o governo ditatorial faz: o estado manda e a cachorrada obedece. EU NÃO.

delete 23 de maio de 2015 14:38
avatar

Bom, já que não existe prazer em dirigir, nem mesmo o conforto e a segurança de um carro mais moderno servem, a velocidade e a estabilidade de um carro top servem, o certo é comprar uma Toyota Bandeirantes a diesel: dura, barata, gasta pouco, vai devagar, sem conforto, sem IPVA, pode ser usada nas excelentes estradas do Brasil e acima de tudo ninguém quer roubar. Pronto!!!! Esta aí o Kit bom, barato, feio e durável. O sonho de consumo dos que não podem ter um bom carro mas querem um meio de transporte. Um jegue também serve, mais barato ainda...

delete 23 de maio de 2015 14:44
avatar
Uorrem Bife person

Meu próximo carro será um japonês a pedido do S. Guarda, rs.

delete 24 de maio de 2015 07:28
avatar
Uorrem Bife person

Este lance de prazer de dirigir é psicológico. Tem prazer pra tudo neste mundo, tem gente que sente prazer com dor (sadô), rs. Confesso que estou sentindo saudades do meu corsinha wind 2001. Este sim me dava prazer em dirigir, fácil de encaixar nas vagas, ladrão não ficava de olho, tinha muitos detalhes internos que o carro novo que comprei não tem. Mas o novo é mais seguro sem dúvida, isto foi fundamental na decisão de troca pois agora tenho um bebê. a diferença de dirigir um civic, um fit, um toyota, um chevrolet, etc, todos do mesmo ano, é puramente psicológica.

Apesar de estar gostando da experiência de ter um carro zero devo confessar que teria muito mais prazer em ver os 45.000 investidos em bons FIIs me dando pelo meno 400 reais por mês, mas foi um gasto necessário.

delete 24 de maio de 2015 07:34
avatar
Uorrem Bife person

Catarrento, vc está cometendo o erro número 1: ficar seduzido pelo produto. E ainda chega na loja e demonstra esta paixão. Será presa fácil para os vendedores. Quando fui comprar meu carro semanas atrás eu nem chegava perto dos carros que ficavam à mostra. Os vendedores ficam analisando seu comportamento, para pegar seus pontos fracos. Quando for em um loja foque no vendedor e não no carro. Passe mais tempo olhando os olhos do vendedor do que o painel do carro. Visite várias lojas, mas foco na negociação e não no carro.

delete 24 de maio de 2015 07:39
avatar
Uorrem Bife person

Na minha opinião carro que compensa comprar é carro econômico. Este é um dos motivos que não compro automático. Nem olho muito preço de revenda, mas economia de consumo é fundamental.

delete 24 de maio de 2015 07:42
avatar
Uorrem Bife person

É psicológico, vai de cada um, como disse mais acima, tem gente que tem prazer sentindo dor. Tanto o Metal quanto o Anom estão certos no ponto de vista. São diferentes mas são válidos.

delete 24 de maio de 2015 07:44
avatar
Uorrem Bife person

Metal, vc é um consumidor infiel, vive trocando de marcas, rs, brincadeira. Digamos que é um experimentador.

delete 24 de maio de 2015 07:45
avatar
Uorrem Bife person

Metal, vc compra de particular ou de loja?

delete 24 de maio de 2015 07:45
avatar
Uorrem Bife person

Corolla já é o décimo carro mais vendido no Brasil, e olha que nem é popular. Estes japoneses ainda vão ganhar mais mercado. Meu Prisma 15/15 ficou em nono.

http://www.noticiasautomotivas.com.br/palio-lidera-em-abril-e-corolla-fica-em-decimo/

delete 24 de maio de 2015 07:48
avatar

Verdade Uorrem, tenho a ciência que se eu for comprar o carro eu terei que ir em outra concessionaria.

delete 24 de maio de 2015 12:13
avatar
Anônimo

Se o cara falasse ferrari ou um outro esportivo, mas vem dizer audi e bmw.
kkkkkkkkkkkkkk
Isso é o prazer de dirigir?
Heavy metal chega a gozar quando dirige.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

delete 24 de maio de 2015 17:01
avatar
Anônimo

essa discussão do anom e do HM pode ser resumida em duas ideias:

Quem tem mais quer humilhar quem tem menos. E justo, não é? Ele pagou mais caro por isso. E mesma história das camisas pólo lacoste e as outras sem marca... Só o jacaré custa 50 doletas.

a segunda idéia é que eles estão discutindo se andar na primeira classe e melhor do que na econômica. Com certeza é, a grande questão é se realmente vale o que se paga. Tem mais espaço, dorme mal, porém melhor, toma vinho e outras babaquices. .. mas será que o ser humano realmente precisa disso? ou melhor vive sem isso?

Nota se que o HM tem raiva de pa

delete 24 de maio de 2015 17:59
avatar
Anônimo

Queria ter dinheiro pra pegar a rabeta da Christiane Guimma.

delete 24 de maio de 2015 18:32
avatar
Anônimo

O HM realmente não leu nada de Von mises. Foi o desenvolvimento industrial que deu a todos o poder de ter qualquer coisa. As empresas se esforçam para entregar a todo mundo aquilo que era de poucos. Outras empresas vendem o conceito de exclusividade. Trabalham com a marca como critério de distinção. Vai lá, continue com seu cherooke a 4km por litro. E jogue fora o futuro dos heavy metals com seu novo aston martin

delete 24 de maio de 2015 19:57
avatar
Anônimo

e pq alguém acreditaria que esse heavy metal tem dinheiro pra alguma coisa? um cara com 2M na conta que vive se bicando com os outros em blogs amadores de internet.

delete 24 de maio de 2015 21:11
avatar

Fala Uó! Beleza?

Minha opinião sobre carros é bem pragmática: carro é somente meio de transporte. Como tal, deve prover segurança, e uma boa relação custo-benefício levando em consideração parâmetros como performance, consumo e custo de manutenção. O status que um carro proporciona é algo secundário e o tal "prazer de dirigir" é algo subjetivo e, na maior parte das vezes, temporário e psicológico.

Essas frases prontas que se ouve por aí, como "carro é japonês" ou "fuja de franceses" não passam do mais puro bullshit. Eu já tive carros de três marcas diferentes e todos tem manutenção de valor semelhante. Se alguma dessas frases fosse verdade, todas as marcas já teriam ido à falência, pois alguém sempre tem uma queixa relativa à alguma delas. O New Fiesta - que eu te sugeri comprar - não seria campeão de vendas na Europa se carro tivesse que ser japonês ou coreano. Ah, e nem a Toyota teria tentado ocultar um erro de projeto que causava aceleração repentina em alguns modelos nos EUA, sendo multada em cerca de $1,2 bi após causar centenas de mortes. Que pós-venda excepcional esse da Toyota né?! E foi nos EUA!

Após desmitificar o bullshit propalado por fanboyolas estúpidos, conclui-se que se apegar e defender marcas como Toyota e Honda é mera questão de status. Comprar um Fit, por exemplo, é como comprar um Iphone. O carro pode ser bom, mas nada justifica pagar R$ 10 mil a mais do que seus concorrentes. Explique para mim tecnicamente como pode ser vantajoso pagar R$ 50 mil num carro que não tem farol de neblina (item de segurança), retrovisor elétrico, um mero rádio e falantes, vidro elétrico sem função one touch, sem alarme, sem nada! Não vale dizer: "Ah, mas é Honda, nééé???" kkkk!

Já o tal prazer de dirigir existe quando se migra de um carro mais simples para um novo, mais moderno, seguro e confortável. É algo passageiro ligado à sensação de novidade e logo o motorista se habitua e dirigir o carro novo para a ser algo corriqueiro. Após dois anos com o mesmo carro, algo já começa a apitar na sua mente para trocar de carro, mesmo sem necessidade: é o vício do cérebro em endorfinas e experiências novas. Mas há também o prazer puramente psicológico ligado ao status proporcionado pelo carro. É quando o motorista se sente imponente e acha que todos na rua estão olhando para ele, quando na verdade as pessoas estão apenas seguindo suas vidas. É aquele cara que acha que após concluir uma ultrapassagem o motorista ultrapassado está se roendo de inveja (rs). Todos esses prazeres são apenas fruto de arrogância e armadilhas para arrancar mais dinheiro de endinheirados entediados. Nada além disso.

Para concluir, se um dia puder, faça uma viagem de 300Km a bordo de uma Lamborghini (carro de 2,5 milhões) e depois me conte sobre o prazer de dirigir... rs

delete 24 de maio de 2015 21:55
avatar
Uorrem Bife person

Opa, isto aqui não é amador não, é profissa, kkk

delete 25 de maio de 2015 07:09
avatar
Uorrem Bife person

Teve uma fase de uma vida minha que cheguei a ter duas camisas lacostê, mas hj só compro camisas em lojas de departamentos e galerias de rock, pago no máximo 25 reais por cada uma, chamo isto de evolução das espécies, rs.

delete 25 de maio de 2015 07:11
avatar
Uorrem Bife person

Dentro de discussão atual, rabeta é tudo igual, rs. E não deixa de ser mesmo, vc não estará nem vendo o rosto durante o ato, rs, então é um prazer psicológico.

delete 25 de maio de 2015 07:12
avatar
Uorrem Bife person

Blz Troller, concordo com tudo que vc disse, mas a questão é que estes prazeres subjetivos são naturais na mente do ser humano. é como vc pegar um GP de luxo, coisa que vc entende bem, o prazer físico é o mesmo do que pegar qq outra moça, mas psicologicamente as "endorfinas" trarão reações diferentes, rs.

Alguns itens de um carro realmente trazem conforto imediato, eu por exemplo estou dirigindo meu primeiro carro com ar condicionado, antes tinha que ficar andando de vidro aberto e sem camisa em dias de calor intenso, hj isto não é mais necessário. Mas aí pergunto: o ar condicionado de um Honda dá mais prazer do que um Chevrolet? rs

Mas por outro lado a experiência que estou tendo no momento atual é no mínimo paradoxal. Muitos itens do meu carro anterior me davam mais prazer do que o novo carro, por exemplo o volante tinha um material mais macio de pegar, um detalhe bobinho mas que realmente me chama atenção. Outro detalhe bobo: costumo andar com um guarda-chuva dentro do carro, e no Corsinha esta guarda-chuva cabia no porta-objetos da porta, no caro novo ele nem entra, ou seja, paguei 45.000 reais em um carro que não tem nem local para colocar meu guarda-chuva, rs.

A mente do ser humano prega algumas peças, lembro que trocava as calotas do meu corsinha de tempos em tempos quando as mesmas estavam muito arranhadas, mas chegava nas lojas e pegava a mais barata, não dava a mínima importância a isto. Agora com o carro novo, que veio com calotas pois rodas de liga leve estão disponíveis apenas na versão top de linha, já estou cogitando comprar rodas de liga por não estou gostando da aparência do carro com as rodas de ferro. É ou não é irracional este comportamento? Mas faz parte dos prazeres que a mente humana está sempre procurando, o ser humano é movido a prazeres, na maior parte do tempo irracionais.

delete 25 de maio de 2015 07:27
avatar

Troll, acho que ultimamente você está com problemas sérios com relação a mim.

Veja, embora seja chocante o que vou dizer é a verdade : o que você pensa não necessariamente é uma verdade inquestionável, apenas um conceito próprio e que pode ser coincidente ou não com os demais seres! Certamente para quem se acha o dono da verdade isso deve ser muito estranho de entender.

Posto isto, veja bem uma coisa. Os carros japoneses não são infalíveis, vide o caso descrito por ti nos EUA envolvendo a Toyota. No entanto, na minha opinião e que certamente não é compartilhada por você, não se trata de um mero clichê : carro japonês é superior e como tudo no mercado que você tão bem entende, é precificado como tal.

A questão do prazer de dirigir está em muitas variáveis, muitas das quais não mensuráveis, mas que existem fortemente para alguns e menos para outros. Não é disso que falo. Os carros japoneses têm melhor jogo, melhor dirigibilidade, mais qualidade, maior durabilidade, pouco defeito, e comparados aos seus pares menores valores de manutenção.

Uó, falo por largo conhecimento sobre os franceses, sobre os japoneses e sobre os demais. Não por clichê. Mas, claro, não sou dono da verdade. O fato é que a vida dos mecânicos seria muito dura se só existissem carros da Honda e Toyota rodando, não dão defeitos corriqueiros! Lembra-se de uma propaganda da Toyota onde numa estrada deserta uma mulher atraente parava o carro como que enguiçado, para atrair motoristas a parar e ajudar? Era uma sacada muito boa, mas retrata o que pensam aqueles que possuem tal carro.

Abraços Uó, que dê tudo certo com seu novo carro. Abraços Troll, que amadureça mais!

delete 25 de maio de 2015 07:45
avatar
Uorrem Bife person

Valeu S. Gurda! E se o novo Honda tiver espaço para o meu guarda-chuva então vou comprar um, rs.

delete 25 de maio de 2015 10:38
avatar
Oli

Manutenção é razoavelmente barata, perto do valor de um carro novo. Compre um carro velho (sem viadagem de semi-novo), tipo um Toyota Corola 2007 e fique com ele fazendo a manutenção básica e algumas corretivas por uma mixaria perto do valor de um Corola novo e invista todo o resto.

delete 25 de maio de 2015 19:44
avatar

A manada compara o valor da manutenção do uso com o valor do usado. Daí concluem que é melhor comprar um 0km superfaturado.

delete 25 de maio de 2015 22:37
avatar
Uorrem Bife person

Troll, qt vc gasta no seu carro por ano? Incluindo seguros, estacionamento, gasolina, etc.
No meu Corsinha eu gastava em torno de 6.000. Quero ver agora quanto será com o novo.
Abraço!

delete 26 de maio de 2015 07:46
avatar

Uo, se serve como parâmetro, no primeiro ano do meu New fiesta sedan (comprado por 46K) gastei:
IPVA 1160,98
Seguro 2353,00
DPVAT e Licenciamento 164,65
Outros 0,00
Total 3678,63
Despesas variáveis (gasolina, óleo, aditivos etc) 4850,68
Custo Total 8529,31

delete 26 de maio de 2015 08:58
avatar
Uorrem Bife person

Valeu, está gostando do carro? Quais pontos negativos e positivos?

delete 26 de maio de 2015 12:16
avatar

Sim, estou pois como foi montado no México, tem acabamento superior, painel com plastico macio, manutenção barata (pois eu mesmo troco óleo, filtros, velas etc abrindo mão da garantia (3 anos). Não tem ponto negativo, pois gosto de carro baixo e acerto de suspensão esportiva (muita estabilidade, sem contar os controles eletrônicos de tração, esp), embora eu esteja no Brasil das estradas má conservadas, por isso há quem goste de suspensão mole e confortável (e perigosa nas curvas) dos seus fiat e corolas rsrs
No segundo ano não terei o custo do seguro, fechando a conta acima em menos de 5000,00

delete 26 de maio de 2015 12:33
avatar
Uorrem Bife person

Opa, acha que vale a pena abrir mão da garantia? Então vc não revisa na loja que comprou correto?

delete 26 de maio de 2015 13:43
avatar

Vale a pena, pois o plano de revisão por 3 anos me custaria 2700 na autorizada. Fazendo o mesmo plano de revisão em oficina custa a metade. Porém eu mesmo reviso, troco filtros, verifico o óleo (o motor sigma dele nunca baixa óleo). Troca de óleo e filtro de óleo faço em postos de combustíveis, não jogando óleo bom fora, troco óleo de 9000 rodado ou 10 meses. Na autorizada é de 6 em 6 meses, pra quem roda pouco, sai prejudicado.

delete 26 de maio de 2015 13:56
avatar
Uorrem Bife person

Interessante. Neste primeiro carro vou fazer pela autorizada mesmo e avaliar o custo/atendimento.
Vc sempre fez assim?

delete 26 de maio de 2015 19:45
avatar

Economizar mil e poucos reais num item de segurança como um veículo... economia porca pra quem já gastou 60 mil na compra.

delete 26 de maio de 2015 22:51
avatar
Henrique

Bem que eu queria ser economico com carro como voces. Ano passado gastei aproximadamente 27 mil reais com meu Civic 2013 LXR, incluindo parcelas mensais do financiamento (1.239/mes, taxa zero), revisoes, combustivel, IPVA/DPVAT, e pedagios...gasto mais com meu carro do que comigo e a esposa juntos kkkk
Mas como dependo do carro pra trabalho, e rodo em média uns 2.000 a 2.500 km/ mês, é um gasto brutal....e pra quem roda isso, nao da pra nao pensar em segurança e um pouco de conforto, sem contar que se Deus quiser vem um filho ano que vem, entao a caranga ja foi comprada pensando nisso tambem....a meta é ficar com o carro por uns 5-6 anos, porque do jeito que eu ando se ficar mais o motor desmancha kkkkk
Sobre as revisões...depende do seu ponto de vista Uó...eu vou continuar fazendo até acabar a garantia. Tive um problema com o carro, cheguei lá e qdo viram que faço tudo na Honda, nem me questionaram sobre a origem do problema, e trocaram na hora. Infelizmente é o preço a mais que pago para ter a garantia de uma marca boa.

delete 26 de maio de 2015 23:02
avatar
Uorrem Bife person

Caramba Henrique, 27 mil é dinheiro demais. Eu rodo 1.000 por mês. Como lhe disse gastava ~6.000 com o Corsinha, estou achando que vou gastar o mesmo com o novo Prisma, daqui 1 ano te falo.

delete 27 de maio de 2015 07:15
avatar
Uorrem Bife person

Ah, não pago pedágio e raramente pago estacionamento.

delete 27 de maio de 2015 07:16
avatar
Henrique

Dinheiro demais mesmo, mas pra mim é um gasto que não tem como reduzir mais...ja ando sossegado, abasteço em posto de confiança na estrada (que é mais barato que os dentro da cidade)....tirando as parcelas do financiamento, sao 14 mil +- por ano.
Eu vou pra cidades proximas 2x / semana, entao tem muito pedagio, e também 1x/mes viajo com o carro (mais pedagio e mais gasosa), e não da pra pegar busao pro trabalho, nao tem metro...a coisa boa é que a empresa vai mudar pra perto de casa, entao vou economizar um pouquinho de combustivel em alguns dias da semana. Já pensei até em comprar uma bike elétrica kkk

delete 27 de maio de 2015 08:46
avatar
Uorrem Bife person

Ah... tinha o financiamento incluído. 14 mil melhorou.

delete 27 de maio de 2015 08:54
avatar

Agora mesmo já estou pesquisando preços de uma bateria e pneus novos, pois ano que vem irei trocar esses itens. Se a bateria original não estiver em conta, comprarei especificação melhor de outra marca por menor preço.

delete 27 de maio de 2015 10:15
avatar
Uorrem Bife person

qts kms já rodou?

delete 27 de maio de 2015 22:48
avatar

estou completando 25K em quase 2 anos, os dianteiros já chegaram no TWI. Fiz rodízio e alinhamento aos 10K. Uso 90% na cidade que é a capital tem mais rotatórias do mundo!

delete 28 de maio de 2015 13:12
avatar
Uorrem Bife person

Vc roda pouco, tb rodo uns 12.000 por ano. Mas seus pneus duraram muito pouco.

delete 29 de maio de 2015 07:34
avatar

Rodando na mais nova capital brasileira, pneus duram no máximo 30.000, devido ter que circular muitas rotatórias. Ao menos não temos trânsito!

delete 29 de maio de 2015 09:17
avatar
Henrique

25 mil é muito pouco...qual a marca do pneu? Tive um Pirelli que veio original no gol G5 que durou 50 K ate chegar no TWI, que depois foi trocado por Continental até a revenda, e agora o Goodyear original do Honda ta com 45 K e ainda dura mais uns 5 mil...ja to vendo outros pneus, mas ando preferindo Continental e/ou Michelin.

delete 30 de maio de 2015 21:32
avatar

é uma marca coreana Hankook. O clima aqui é 40 graus, entao pneu sofre, resseca etc
E aqui fazemos muitas curvas, dentro das rótulas, rotatória ou queijinhos como se fala em goiais
Estou pesquisando agora um Continental. O tb importado Kumbo é cerca de 30% mais barato, mais não confio.

delete 31 de maio de 2015 18:14
avatar
Henrique

Os pneus coreanos e etc duram menos mesmo, por isso nao vale a pena economizar com pneu....vai de Continental, Goodyear ou Michelin (a Michelin lançou um pneu novo que segundo ela economiza 3% de combustivel). A chance de durar mais é bem maior!

delete 1 de junho de 2015 21:55
avatar
Uorrem Bife person

No meu corsinha só colocava pneu barato, mas por duas vezes perdi os pneus da frente por não ter alinhado o carro, rs.

delete 4 de junho de 2015 08:05



sentiment_satisfied Emoticon