sábado, 29 de novembro de 2014

Melhores Empresas de Dividendos



Os dividendos são parte do lucro das empresas distribuída periodicamente aos acionistas. Geralmente, empresas que são boas pagadoras de dividendos estão em estágio de crescimento avançado, não necessitando de tantos investimentos para financiar sua expansão.

Assim, elas tendem a distribuir uma parcela maior de seu lucro sob a forma de dividendos. É o caso da Souza Cruz, tradicional pagadora de dividendos, que atua em um setor que não tem perspectiva de muita expansão, até pelas campanhas contra o tabaco.

Essas companhias também têm como característica comum o fato de serem líderes nos mercados em que atuam, ou então, atuarem em segmentos com baixa (ou nenhuma) concorrência. As empresas boas pagadoras de dividendos geralmente são líderes de mercado ou atuam em segmentos com demanda estável. Por essas razões, suas ações não sofrem como aquelas mais influenciadas pelo ambiente macroeconômico e tendem atrair mais investidores em momentos de baixa da Bolsa.

Por terem, em geral, baixa necessidade de reinvestimento no negócio são empresas mais defensivas e que conseguem repassar boa parte dos lucros aos acionistas. As boas pagadoras de dividendos costumam se concentrar em setores de utilidade pública, como saneamento, energia e telefonia, bem como nos setores financeiro e de consumo inelástico, como fabricantes de bebidas alcoólicas e cigarros.

Mais informações sobre dividendos de empresas neste post.

Dividend Yield x Payout Ratio

O retorno do investimento em uma ação é composto por dois elementos: o dividend yield e o ganho ou perda de capital, ou seja, a diferença entre o preço da venda da ação e o preço da compra. A desvalorização da ação pode comprometer todo o ganho obtido com os dividendos. Foi o que ocorreu com o setor elétrico em 2012. A depreciação de até 30% no preço de alguns papéis “comeu” o retorno de cerca de cinco anos de dividendos.

Não há dúvida que o retorno com dividendos é importante para a escolha de uma ação. Primeiro, o preço de ações com alto dividend yield tende a estar depreciado. Segundo, quando a administração decide pagar dividendos isto sinaliza que ela está confiante no fluxo de caixa futuro da empresa. E, por fim, segundo o modelo de Gordon, quanto maiores o dividendo distribuído e a evolução do lucro por ação, maior tende a ser a cotação do papel.

Contudo, o crescimento do lucro por ação depende de investimentos produtivos que permitam à companhia aumentar sua produção. Se todo o caixa for direcionado aos dividendos, o aumento da produção ficará comprometido e, com isso, o preço da ação pode sofrer.

Essa conclusão é semelhante à do estudo High Yield, Low Payout publicado em agosto de 2006 por Pankaj N. Patel, Souheang Yao e Heath Barefoot, do Credit Suisse Quantitative Equity Research. Os analistas observaram a performance das ações componentes do S&P 500 entre janeiro de 1980 e junho de 2006. Eles montaram dez carteiras baseadas no dividend yield, sendo a carteira 1 formada pelas ações de menor retorno com dividendos e a carteira 10 pelas de maior retorno. No período, as carteiras dos decis 8 e 9 tiveram melhor desempenho do que a carteira do decil 10, das ações com maior dividend yield. Para descobrir o porquê do resultado, adicionalmente, eles criaram três cestas com alto, médio e baixo dividend yield.

Além disso, cada categoria foi dividida em outras três: de baixo, médio e alto payout ratio. E, finalmente, calcularam a rentabilidade das nove cestas entre janeiro de 1990 e junho de 2006. A carteira com melhor desempenho não foi aquela com apenas alto dividend yield, mas aquela que combinou ações com dividendos atrativos e baixo payout.

Essa conclusão confirma, de forma indireta, o modelo de Gordon. Se a companhia distribui grande parte dos lucros como dividendos, o crescimento da companhia pode ficar comprometido. Assim, a empresa deve reter parte dos lucros para suportar seus investimentos, reduzindo os dividendos distribuídos, o que significa um menor payout ratio.

Lista de ações ordenadas por indicação de analistas...


Lista de ações ordenadas por dividend yield...

 
Lista de ações ordenadas por payout ratio...


Dividendos Trimestrais

Apenas 17 ações de empresas listadas na bolsa brasileira têm pago dividendos todos os trimestres desde janeiro de 2012, segundo levantamento feito pela consultoria Economatica. O estudo considerou apenas as ações mais líquidas da bolsa, com giro financeiro diário superior a R$ 1 milhão.

São destaque na lista as ações dos grandes bancos brasileiros, Itaú Unibanco, Bradesco e Banco do Brasil, junto com Itausa (holding que controla o Itaú), Gerdau e Lojas Renner. Os maiores retornos em dividendos (dividend yield) trimestrais, na média, são de Banco do Brasil (2,02%), Banrisul (1,26%), Souza Cruz (1,11%) e Itausa (1,08%).

Os bancos costumam pagar mensalmente seus dividendos porque fazem balanços mensais para prestar contas ao Banco Central e como forma de atrair investidores que precisam de um fluxo de recursos constante.

O percentual distribuído costuma, porém, ser proporcionalmente baixo em relação ao valor das ações, ou seja, o chamado “dividend yield” é baixo em relação a outros setores que distribuem lucros com menor periodicidade.

Segundo afirmou um ex-executivo de banco, que pediu para não ter seu nome citado, esse distribuição periódica não tem “nenhuma razão contábil”. Os bancos, como qualquer sociedade de capital aberto, precisam distribuir pelo menos 25 % do lucro para os acionistas preferenciais.

De acordo com ele, as instituições “terminaram optando por essa sistemática como forma de melhorar o fluxo de rendimentos do seus acionistas”. Ele explicou que esse conta gotas “seduz o acionista e ele fica com a sensação de esta sendo remunerado a todo instante pelo investimento feito”.

No caso do Banco do Brasil, a explicação para a distribuição maior de lucros pode ser a necessidade do governo de fazer caixa para o Tesouro. Nos últimos anos, os dividendos de estatais têm sido importantes para o governo fechar suas contas.

Lista de ações que pagam dividendos trimestrais...


Fonte 1
Fonte 2
Fonte 3

39 comentários:

  1. Ótimo post caro conterraneo Uó!! Estava pensando exatamente nesse tipo de post enquanto estudo a composição da minha carteira. Uma pergunta: dentre essas quase 30 açoes que voce colocu nas tabelas, voce consegue escolher as top 10? Sei que todas as 30 sao empresas sólidas e tal, mas algumas possuem mais vantagens devido a estarem com "desconto" na bolsa atualmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rique, olhando apenas dy atual minhas top 10 são:

      ABEV3
      BBSE3
      CIEL3
      ALUP11
      GRND3
      LEVE3
      UGPA3
      ITUB4(3)
      CTIP3
      PSSA3

      Também gosto muito da CEMIG mas está um zumzum muito grande em torno dela, precisamos aguardar o posicionamento do próximo governo de Minas, de qualquer forma é uma boa compra nos preços de 11, 12 e 13 reais.

      Excluir
    2. "Também gosto muito da CEMIG mas está um zumzum muito grande em torno dela"...

      detected herd behavior, rs

      Excluir
    3. "precisamos aguardar" :P

      Excluir
  2. Ótimo artigo Uó.

    Apenas complementando:

    DY é dependente da cotação no momento da leitura que se faz da cotação, logo, um artigo em que saiu em maio que o DY do ativo era 6,5%, trazendo para o dia de hoje já pode ser bem diferente.

    PY é o ideal para ser usado como critério para empresas dividendeiras pois está atrelado a decisão da empresa em quanto do lucro será distribuído, portanto, a cotação é irrelevante como componente para os dividendos.

    Então, aquele que se preocupa com dividendos, deve olhar para o PY não para o DY que é ilusório e sensível ao momento em que é calculado. Hoje pode ser um, daqui dias, semanas, meses, será outro.

    Dividendos são amados e odiados.
    São amados por aqueles que não confiam que a empresa sabe o que fazer com o lucro ao invés de distribuir aos acionistas.

    São odiados por aqueles que não querem este pagamento e preferem que a empresa utilize para investimento como forma de aumentar o lucro cada vez mais.

    Particularmente eu era deste último grupo. Não gostava de dividendos pois achava que a diretoria tinha capacidade para pegar esta grana e gerar mais lucro para a empresa na forma de investimentos em novas fábricas, produtos,etc.
    Depois de ver casos onde a distribuição de dividendo nem era tão grande assim e ver que o corpo diretor de companhias ganhavam aumentos exorbitantes comendo partes do lucro da empresa, mudei de mentalidade e hoje penso no velho ditado:
    Dinheiro bom é dinheiro no bolso.Então é melhor o dinheiro vir para a mão do acionista e cquanto mais melhor, do que ele deixar que a administração da empresa decida o que fazer e nisto pode até desperdiçar este dinheiro com bobagens e não se traduzir em ganho para o sócio.

    Dividendos na minha opnião só deve ser foco de quem quer fluxo de renda. Quem quer crescimento patrimonial deve ter uma carteira com menos dividendeiras e mais empresas de crescimento.Vai muito do objetivo e momento de vida de cada um.

    Lambida do Poney !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Poni, obrigado!
      Acho que as duas variáveis são importantes, o PY fornece um visão independente da cotação mas o DY também importante ao meu ver. Acho que devemos analisar as duas variáveis. Eu tomo o cuidado para sempre atualizar o DY da tabela. Hoje eu tenho duas estratégias, uma de aporte em empresas de alto DY/PY e outra de aporte em emrpesas de baixo DY/PY. São duas carteiras distintas e com objetivos distintos. Como você disse quem rpecisa de fluxo de caixa deve aportar em empresas que distribuem mais, assim como devem aportar também em FIIs. Já quem quer ver o crescimento do dinheiro sem ter que ficar reinvestindo deve focar nas empresas de crescimento. Eu quero as duas coisas, então adoto esta estratégia mista.
      Abraço!

      Excluir
    2. Sua estratégia está bem coerente com o que deseja e não há problema nisto ! O problema é quando a pessoa adora dividendos e reclama que o papel não anda pra frente e até começa a "dar pra trás", tipo assim uma ETER...rs

      Abs

      Excluir
    3. ETER tá sofrendo com a queda do setor de construção principalmente.

      Excluir
    4. É possível ter crescimento com uma carteira de dividendos. Basta reinvesti-los.

      Excluir
  3. Esqueci de comentar. Pelos pagamentos já efetuados históricamente, Grendene paga trimestralmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Você vendeu as suas não foi? Quando fez isto eu achei uma bobeira sua, sigo firme com as minhas...

      Excluir
    2. Eu vendi e não me arrependo. Mas a empresa continua redondinha por isto mantenha as suas se seu plano é ter empresa de valor.

      Excluir
    3. E o seu investimento secreto? Qaudno vai revelar?

      Excluir
  4. É reconfortante ver um post sobre dividendos nesses tempos em que se diz que o DY não serve para nada e que o que importa é o ganho de capital. Assim como Décio Barzin, acredito que o DY é o melhor jeito de precificar um ativo, através da renda que ele gera... Foi a razão de criação da bolsa de valores, repartir os lucros de uma empresa.
    Já quiseram me convencer que dividendo não é bom porque a empresa vai saber aplicar melhor do que eu. Balela, ela também pode é engordar o bolso da diretoria, ou aplicar em projetos duvidosos. Claro, Payouts de 100% podem não ser saudáveis fora do setor elétrico. A combinação perfeita de DY alto é payout não tão alto é o santo graal dos investidores criadores de fluxo de caixa, como está muito bem exposto no artigo. Em tempos de boom, ninguém presta atenção neles, nas épocas de crise, se transformam em um porto seguro. Quem só compra, quase nunca vende, não está nem aí pra o que acontece com o preço da ação, faz é comemorar porque o preço cai, já que o DY aumenta. Só irá vender se o dividendo começar a secar.
    Quem conhece gente que ficou rico na bolsa antigamente, normalmente foi através dos dividendos. Muita gente ficou rica só comprando uma ação, PETR, BBAS, VALE... Só compravam, nunca vendiam, e hoje recebem dividendos multimilionários. Essa também foi a filosofia do Barsi. O ganho de capital é virtual, é ilusão. Dividendo é a materialização da bolsa, o que te relembra que possui algo real, e não só números numa tela de computador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isto aí Anom, só tomar cuidado com este ponto "Payouts de 100% podem não ser saudáveis fora do setor elétrico". Temos empresas com alto PY como ABEV e CIEL que são boas compras.
      Mas hoje em dia no Brasil tá difícil achar empres boa de dividendos, são poucas. Eu aporto em LEVE3 por exemplo e muita gente acha estranho, talvez por causa so setor que é muito cíclico. Mas é difícil achar empresa boa que retribui bem o investidor aqui no Brasil.
      Abraço!

      Excluir
  5. Também acho que Dividendo é muito bom para quem quer aumentar o fluxo de caixa mensal com rendimentos, nossa Taesa e Alupar estão com DY muito interessante hein......UÓ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, estou preferindo a ALUP11, mas quando comecei aportar nela estava bem mais atrativa, agora está caindo no gosto do investidor e o preço tá só subindo, chato isto, rs

      Excluir
  6. Olá, UB!
    Vejo que deu uma lida naquele estudo que recomendei para você sobre a relação entre dividend yield e payout, e que se fosse possível achar uma empresa com moderado/alto yield e baixo payout tenderia (passando por outros filtros fundamentalistas) a ser uma boa compra.

    Uma empresa deve ter baixo payout quando o seu ROE é maior do que o custo do capital próprio. O custo do capital próprio geralmente é Taxa do Ativo Livre de risco + Equity premium + prêmio específico da empresa.
    Portanto, empresas com ROE elevados faz sentido seguir reinvestido os lucros e crescer exponencialmente os mesmos e as receitas. Empresas mais maduras com ROE não tão elevados, faz sentido distribuir uma parte maior dos lucros aos acionistas.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sô, se tem um cara bom pra indicar estudos e livros este cara é você, rs.

      Muito obrigado pela contribuição ao post.

      Nos seus investimentos para aposentadoria está considerando alguma empresa ou apenas FIIs?

      Excluir
    2. Beef3: Poderia mencionar qual foi o estudo sugerido (link)?

      Excluir
  7. UB,

    Parabéns pelo post! Eu, pessoalmente e mais uma vez rs, estou com o Bastter nessa! A empresa tem que ter lucros consistentes. Se ela vai distribuir ou reinvestir os lucros é irrelevante.

    Na minha carteira eu tenho empresas de ambos os tipos e não me preocupo muito com isso não.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I.L., mas para geração de fluxo de caixa não seria melhor focar em empresas de bons dividendos?

      Excluir
    2. Uó,

      Acredito que os FIIs encaixam-se melhor nessa situação.

      Abraços.

      Excluir
  8. Uó, muito bom post. Eu gosto deste tipo de estudo e discussão.

    Você deve se lembrar deste estudo que fiz sobre assunto relacionado.

    Eu não gosto muito de olhar o DY, pois é uma equação que considera o preço e não acho que signifique tanto assim, pelo menos de maneira isolada.

    Com respeito às empresas com com DY alto e PY baixo, significa que você está procurando uma empresa com crescimento alto e baixo P/L, o que é muito difícil de encontrar.

    Pelo meu estudo acima, fica claro que empresas com baixo crescimento precisam ter baixo P/L e alto PY (consequentemente DY) para serem lucrativas em termos de rentabilidade e o contrário, empresas de crescimento não tem tanto problema com P/L alto (como eu disse, estas empresas dificilmente tem este indicador baixo).

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esqueci de colar o link do meu estudo para referência:

      http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br/2014/04/estudo-definitivo-crescimento-dos.html

      Excluir
    2. Olá E.I., obrigado pela contribuição. Vou checar seu post.

      Excluir
  9. E aí Uó, receber dividendos é uma alegria, reinvestí-los é melhor ainda. Esse mês que batí meu récorde de proventos, (nem 100 reais) e fiquei feliz demais da conta. Estou ansioso pra ver seu fechamento aí. abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É gratificante Dr. principalmente se a corretora fou boa senão ela vai comer eles, rs, brincadeira.
      Abraço!

      Excluir
  10. Uó, bom dia!

    Gostaria de te parabenizar pelo blog. Seus posts tem me ajudado muito.

    Em particular, gostei muito quando comentou do investimento mensal em CIEL3 e ABEV3 na rico (investimento programado) para seu filhão.

    Após estudar as duas ações, comecei também na mesma estrategia, focando longo prazo (daqui a no minimo 10 anos).

    Se não for incomodo, poderia explicar qual o racional para mudar a estrategia? Foi so para diversificar a carteira, haja vista a carteira do pai ja possuir estes ativos?

    Vc acha prudente continuar com esta estrategia de aporte mensal 50% em CIEL3 e 50% em ABEV? Já tenho uma carteira de FIIs e parte em renda fixa.

    Agradeço desde já o comentário.

    Abs

    Guilherme76

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gui76!

      Muito obrigado, fico feliz de estar ajudando. Quando eu comecei nos investimentos fiz muitas besteira, por desconhecimento e por impulso, e você começando com CIEL e ABEV já começou com pé direito. Se eu tivesse começado assim em 2008 estaria bem na fita hoje.

      Acredito que você pode continuar com a estratégia, mesmo porque o Uó Pai continuará também comprando estas duas empresas, acho que no futuro o Uó filho irá questionar também porque eu parei de comprar ABEV e CIEL para ele, mas eu direi que foi egoismo mesmo, peguei as melhores para mim, rs. Brincadeira.

      A estratégia para a carteira do Uó filho será realizar dois aportes por mês, mas não serão mais programados como antes, irei fazer duas compras mensais lá na Rico o que já será suficiente para não pagar a custódia. Comprarei no fracionário o que me permitirá pagar metade da corretagem do lote cheio. E escolherei no mês uma empresa de dividendos e outra de crescimento. Como lá o investimento programado é limitado em certas empresas então fica mais difícil diversificar, este foi mais um motivo de ter abandonado o investimento automático.

      Neste mês já transferi hoje para a Rico o dinheiro do aporte. Como já tenho lá alguns FIIs então eu juntarei este dinheiro com os recebidos de aluguel. Hoje isto vai dar em torno de 1.000 reais que já é uma boa quantia mensal para se fazer uma poupança assim. Além do mais corrigirei, a cada mês, em 0,6% o valor do aporte conforme tabela abaixo:

      618
      621
      625
      629
      633
      636
      ...


      As ações de dividendos candidatas para este mes são:

      ALUP11
      VALE5
      PSSA3

      As ações de crescimento candidatas para este mes são:

      KEPL3
      WEGE3
      BRFS3

      Não vejo porque você mudar sua estratégia, talvez pode adotar mais de uma estratégia como eu faço. No fundo eu criei só um subterfúgio com esta história de carteira do filho para poder adotar uma estratégia e segui-la a risca, porque o que eu tenho feito nos ultimos tempos é só mudar de estratégia, rs, mas veja você que já mudei no meio do caminho. Mas se puder mudar pouco e fazer apenas alguns ajustes ao longo do tempo está de bom tamanho.

      Abraço!

      Excluir
    2. Grande Uo,

      Muito obrigado!!

      Até quis saber sua opinião, pois estava lendo um dos relatorios mais recentes do fundo verde, do gestor Luis Stuhlberger e ele na gestão dos fundos está reduzindo o investimentos em ações por acreditar nao ser um bom momento, diante das indefinições do cenário econômico e achar os ativos caros.

      Enfim, sigo acreditando que a longo prazo, com aportes mensais, diluimos o risco de "acertar" as melhores cotações de compra, considerando ativos de empresas solidas.

      Grande abraço meu amigo e obrigado mais uma vez.

      Guilherme76

      Excluir
    3. O Stuhl começou diminuir a posição em ações aqui no Brasil já tem dois anos, ele tem comprado ações nos EUA. Mas metade da carteira do fundo verde está posicionada em títulos do governo. O grande problema deste fundo é que o caixa é forte demais, eles não conseguem encontrar boas ações aqui no Brasil com a liquidez necessária para eles. Eles tem investido em câmbio também. Mas a rentabilidade do fundo não está lá grandes coisas este ano, se o dólar subir mais eles vão se dar bem.

      Mas continue acompanhando as carteiras destes bons fundos, eu também faço isto, inclusive tenho feito um levantamento da carteira mensal do fundo verde desde 2008, depois vou fazer um post a respeito. Outro fundo para ficar de olho é o da Geração Futuro. Eles apsotaram forte em BBSE3 e KROT3 e tiveram uma rentabilidade muito boa.

      Abraço!

      Excluir
  11. Especula-se que o Governo quer imposto sobre os dividendos. Muda algo para vocês, ou ainda vale a pena, mesmo com tributação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O artigo do Uó vem num momento oportuno e poderia ter um desdobramento, desta vez, nos trazendo informação sobre o status do projeto de lei que extingue o JCP e taxa ainda mais o dividendo, bem como simular o impacto disto. Tô pedindo pouco, né ? rsss.....

      Excluir
    2. Ihh rapah, muda sim, vamos aguardar os desdobramentos deste projeto.
      Poni, vamos aguardar.

      Excluir
  12. O buxixo forte é que os aluguéis dos FII serão taxados também...
    Aí é que a coisa vai ficar feia.

    ResponderExcluir