quarta-feira, 25 de março de 2015

Tags: ,

Qual o Melhor Seguro de Automóvel (Porto Seguro, Sulamérica ou Azul)?


Bom dia pessoal!

Estou realizando a cotação do seguro para o novo automóvel e até o momento a melhor opção está sendo a Sulamérica. Meu seguro atual é da Porto. Já tive também da HDI. Não tenho nada a reclamar da Porto e da HDI pois sempre que precisei dos serviços fui prontamente atendido. Gostaria de saber se os colegas já tiveram experiência com a Sulamérica e como foi.


Em termos de preço a Sulamérica está imbatível...

Para o veículo Cobalt Sedan LT 1.4 2015/2015

- Sulamerica Seguros
Colisão, incêndio, furto e roubo
R$100.000 de cobertura de danos materiais
R$100.000 de cobertura de danos corporais
R$5.000 de cobertura de APP
Franquia reduzida no valor de R$1.356,59
100% da tabela FIPE
Assistência 24 horas
Cobertura para vidros, retrovisores, faróis e lanternas
Valor total para seguro novo (bônus 0) : R$1.990,00
Valor total para renovação (bônus 10) : R$1.276,15
4x sem juros no débito em conta

- Azul Seguros
Colisão, incêndio, furto e roubo
R$100.000 de cobertura de danos materiais
R$100.000 de cobertura de danos corporais
R$5.000 de cobertura de APP
Franquia reduzida no valor de R$1.470,00
100% da tabela FIPE
Assistência 24 horas com 400km de reboque
Cobertura para vidros, retrovisores, faróis e lanternas
Valor total para seguro novo (bônus 0) : R$2.098,54
Valor total para renovação (bônus 10) : R$1.484,65
4x sem juros no débito em conta

- Porto Seguros
Colisão, incêndio, furto e roubo
R$100.000 de cobertura de danos materiais
R$100.000 de cobertura de danos corporais
R$5.000 de cobertura de APP
Franquia reduzida no valor de R$1.470,00
100% da tabela FIPE
Assistência 24 horas
Cobertura para vidros, retrovisores, faróis e lanternas
Valor total para seguro novo (bônus 0) : R$2.437,84 (já com desconto do cartão Porto)
Valor total para renovação (bônus 10) : R$1.880,51(já com desconto do cartão Porto)
5x sem juros no cartão de crédito Porto Seguro

Para o veículo Cobalt Sedan LTZ 1.8 2013/2013

- Sulamerica Seguros
Colisão, incêndio, furto e roubo
R$100.000 de cobertura de danos materiais
R$100.000 de cobertura de danos corporais
R$5.000 de cobertura de APP
Franquia reduzida no valor de R$1.220,66
100% da tabela FIPE
Assistência 24 horas
Cobertura para vidros, retrovisores, faróis e lanternas
Valor total para seguro novo (bônus 0) : R$2.504,52
Valor total para renovação (bônus 10) : R$1.289,87
4x sem juros no débito em conta

- Azul Seguros
Colisão, incêndio, furto e roubo
R$100.000 de cobertura de danos materiais
R$100.000 de cobertura de danos corporais
R$5.000 de cobertura de APP
Franquia reduzida no valor de R$1.470,00
100% da tabela FIPE
Assistência 24 horas com 400km de reboque
Cobertura para vidros, retrovisores, faróis e lanternas
Valor total para seguro novo (bônus 0) : R$2.496,72
Valor total para renovação (bônus 10) : R$1.632,82
4x sem juros no débito em conta

- Porto Seguros
Colisão, incêndio, furto e roubo
R$100.000 de cobertura de danos materiais
R$100.000 de cobertura de danos corporais
R$5.000 de cobertura de APP
Franquia reduzida no valor de R$1.470,00
100% da tabela FIPE
Assistência 24 horas
Cobertura para vidros, retrovisores, faróis e lanternas
Valor total para seguro novo (bônus 0) : R$3.282,98 (já com desconto do cartão Porto)
Valor total para renovação (bônus 10) : R$2.071,22(já com desconto do cartão Porto)
5x sem juros no cartão de crédito Porto Seguro

Poucos dias atrás fiz o cartão de crédito da Porto Seguro por indicação do colega E.I. (link) para obter 5% de desconto na próxima renovação do seguro mas nem assim será vantajoso. Mesmo sendo sócio da empresa terei que abandoná-la.

Algumas dicas para baixar o preço do seguro...

1 - Carro na garagem paga menos. Quanto menos o carro for exposto a riscos, menor o valor do seguro. Deixá-lo na garagem ou em estacionamentos fechados diminui as chances de roubo, furto e de alguns acidentes. O simples fato de ter garagem em casa pode reduzir o preço em até 25%.

2 - Faça com que motoristas jovens sejam condutores eventuais. A inexperiência no trânsito e a maior disposição para correr riscos acabam pesando no preço dos seguros feitos em nome de pessoas com idades de 18 a 25 anos. Por isso, se o jovem usar pouco o carro, é melhor que ele seja um condutor eventual do veículo dos pais, utilizando-o no máximo 15% do tempo, do que fazer um seguro em seu nome. Mas é fundamental que o tempo de uso do veículo não ultrapasse esse limite. Em caso de sinistro, se a seguradora verificar que o condutor principal era o jovem e não um dos pais, a família pode perder o direito à indenização.

3 - Equipamentos de segurança reduzem o preço. Ter equipamentos contra roubo instalados, como rastreadores, facilita a localização do veículo e diminui o risco da seguradora, reduzindo também o valor do seguro. No entanto, corretores e executivos de seguradoras alertam que só vale a pena fazer essa instalação caso ela seja oferecida pela própria companhia. Do contrário, os custos com a compra e manutenção do equipamento não compensam. Em geral, as seguradoras instalam esses equipamentos de graça nos carros com índices de roubo e furto mais altos. O desconto no valor do seguro pode chegar a 20%.

4 - Carros antigos pagam mais. Se o segurado puder trocar o veículo periodicamente, a cada três ou cinco anos, pode se prevenir contra um aumento no seguro. Vale lembrar que o fabricante não é obrigado a manter todas as peças no mercado para modelos com mais de dez anos. E a dificuldade de encontrar peças encarece o seguro.

5 - Escolha a cobertura ideal para seu bolso. A abrangência da cobertura do seguro também influencia no preço final, mas é preciso avaliar que itens são realmente necessários. Existem as coberturas completas (colisão, incêndio, roubo e furto), as parciais (só contra incêndio e roubo, por exemplo), a cobertura de responsabilidade civil facultativa (RCF) e a de acidentes pessoais de passageiros (APP), destinada às despesas médicas dos ocupantes do veículo segurado.

6 - Além disso, as seguradoras oferecem uma série de serviços extras, como assistência 24 horas, auxílio em caso de pane seca e elétrica, carro extra para quando o veículo segurado estiver na oficina, traslado e hotel caso o sinistro ocorra fora da cidade do segurado, e até serviços domésticos, como conserto de aparelhos eletroeletrônicos, help desk de informática, chaveiro e consultas veterinárias gratuitas. Fora os seguros adicionais para acessórios.

7 - É claro que tudo tem seu preço. Na hora de escolher, cabe avaliar o que é realmente necessário e o que é dispensável. Para alguns modelos de veículo, por exemplo, pode não valer a pena fazer um seguro completo. Os antigos e fora de linha têm peças de reposição muito caras ou simplesmente impossíveis de achar no mercado. Por essa razão, fazer cobertura contra colisão, nesses casos, pode ter um preço exorbitante.

8 - Se o carro for aquele xodó que só circula em torno do quarteirão no fim de semana, pode-se fazer apenas um RCF, para se precaver contra eventuais danos a terceiros em caso de acidente. Mas se o carro antigo rodar mais que isso, uma cobertura só contra incêndio e roubo ainda sai bem mais em conta.

9 - Os corretores em geral recomendam que não se corte demais a cobertura, para não ficar em apuros no momento do sinistro. Por exemplo, a assistência 24 horas normalmente está incluída nas coberturas mínimas. Em geral, não compensa limitar esse serviço, como propõem algumas seguradoras. “Em certas companhias é possível restringir o número de utilizações para a assistência 24 horas ou a quilometragem que o guincho pode percorrer até o local do sinistro. Isso não vale a pena, pois barateia muito pouco em relação à dor de cabeça que o segurado pode ter”, explica o corretor Carlos Lucena.

10 - Baixe o seguro do segundo veículo da família. Se o segundo carro da família só for utilizado eventualmente, sem objetivos comerciais ou de ida e volta diária ao trabalho, o valor do prêmio será naturalmente mais baixo. Na hipótese de sair caro demais fazer mais um seguro completo, pode-se contratar apenas a cobertura de responsabilidade civil facultativa (RCF), que é aquela que cobre os danos causados a terceiros.

11 - Seja um motorista exemplar. Segurados que não têm registro de sinistro no último ano recebem bônus, isto é, um desconto na hora da renovação. Quando ocorre um sinistro, o segurado pode perder uma classe de bônus, o que pode reduzir o desconto. Os bônus pertencem ao segurado, ou seja, ele carrega o desconto consigo se mudar de seguradora. Evitar multas também é uma boa maneira de tentar reduzir o valor do prêmio, pois algumas seguradoras concedem desconto para quem não tem pontos na carteira.

12 - Em caso de danos com custos próximos ao valor da franquia, não acione o seguro. Os consertos só são cobertos pelo seguro caso seus custos ultrapassem o valor da franquia. Se o segurado tiver bônus e os custos de reparo estiverem só um pouco acima do valor da franquia, o melhor é não acionar o seguro, para não correr o risco de perder uma classe de bônus. O segurado arca com as despesas de reparo e deixa para acionar o seguro quando os danos forem realmente grandes.

13 - Modifique o valor da franquia de acordo com seus riscos. As companhias de seguros oferecem três modalidades de franquia. A obrigatória, que é a quantia normal, proporcional ao valor do seguro; a facultativa, somada à obrigatória para subir o valor da franquia e, com isso, reduzir o prêmio; e a reduzida, menor que a obrigatória, mediante um aumento do valor do prêmio. Se a maior preocupação do segurado for roubo, aumentar o valor da franquia pode ser uma boa opção para pagar um prêmio menor, mas a cobertura contra colisões também será reduzida. Mas atenção: dobrar a franquia não significa que o prêmio vai reduzir à metade. A queda varia somente entre 10% e 20%. Já para os motoristas que se preocupam mais com colisão do que com roubo pode ser mais vantajoso optar pela franquia reduzida. Embora aumente o valor do prêmio de 20% a 30%, a franquia mais baixa permitirá que mais eventos estejam cobertos.

14 - O seguro contratado na concessionária pode ser mais vantajoso. Algumas montadoras, como Mitsubishi, Volkswagen e Honda, oferecem a contratação do seguro diretamente na concessionária no ato da compra. Esses pacotes podem ser ligeiramente mais baratos para alguns modelos específicos, como os que ainda não possuem estatísticas de sinistros no mercado, os esportivos e algumas picapes. Segundo o presidente da Mitsubishi no Brasil, Robert Rittscher, o seguro de uma Pajero TR4 pode custar 3,7% do valor do carro na concessionária ao passo que no mercado o seguro fica acima de 4,5% do preço do veículo. Além disso, as montadoras costumam oferecer outros benefícios, como garantia de conserto em uma concessionária da marca, o que para um carro zero é essencial para não haver perda do direito à garantia da peça reparada. Existem outras vantagens. Na Honda, por exemplo, há produtos específicos para portadores de necessidades especiais. Já na Mitsubishi, há facilidades no parcelamento, a cobertura de responsabilidade civil costuma ser mais alta que a média do mercado e, no caso de roubo ou furto com menos de seis meses de seguro, a montadora dá um carro novo para o segurado.

15 - Pesquise a melhor seguradora. A contratação de um seguro, no Brasil, exige a intermediação de um corretor. Por isso, o primeiro passo é pesquisar bastante para encontrar uma boa corretora, que trabalhe com seguradoras de renome e, de preferência, indicada por alguém de confiança. Uma boa opção é checar no Procon local se a corretora e as seguradoras têm contra elas alguma reclamação grave. Também é importante cotar o seguro em várias seguradoras, pois como o cálculo do preço é baseado nas estatísticas de sinistros de cada companhia, o valor da apólice, para um mesmo perfil, pode variar de uma seguradora para a outra. “Para contratar um bom seguro é fundamental procurar um profissional que conheça o ramo e não se ater somente ao valor final, mas principalmente à cobertura oferecida”, aconselha Marcelo Sebastião, diretor do ramo de automóvel da Porto Seguro. Na busca do melhor serviço pelo menor preço possível, a saída é transformar o corretor em um aliado. Ele deve ser disponível e orientar o segurado a tomar as melhores decisões. “O corretor deve ser um guardião dos bens do cliente e não um simples vendedor. Ele é corresponsável pelo seguro. Bom preço é uma consequência do seguro bem contratado”, opina Clécio Brichesi, corretor de seguros.

16 - Nunca minta para a seguradora para baixar o preço da apólice. Na hora de informar o perfil do motorista para o corretor, é fundamental que todas as informações sejam verdadeiras. Qualquer incorreção pode fazer o segurado perder o direito à indenização em caso de sinistro. As companhias de seguros têm maneiras de averiguar a veracidade dos fatos e podem se recusar a pagar pelos danos caso constatem alguma irregularidade. Ou seja, não adianta contar uma “mentira branca” para tentar reduzir o risco do seu perfil. Nada de dizer que não há pessoas com idade entre 18 e 25 anos morando com o condutor principal ou fazer o seguro no nome da esposa, sendo que o marido fica a maior parte do tempo com o carro. E, para os jovens de mais de 25 anos, nada de emprestar o carro para aquele amigo de 24 anos dar uma volta. A idade do motorista que causou o acidente é o fator mais sério quando se fala em perda de direito à indenização.


33 comentários:

  1. Fala Uó!

    Muito bom! Sobre seguro abrangendo apenas roubo, até hoje pelas pesquisas que fiz não encontrei um que valesse a pena, pois o preço era muito próximo a um de cobertura total.
    Sobre corretoras, estou utilizando a "Economize no Seguro". Até o momento estou satisfeito!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Uó,

    Eu iria de Porto Seguro, afinal, assim você ajuda-me. ;D

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk, Porto tá careira, por isto que a cotação disparou ontem...

      Excluir
    2. 33% de alta em menos de 2 meses! uia

      Excluir
    3. e tem gente que não compra porque está cara ...

      vai entender

      Excluir
    4. Agora realmente ficou cara, rs.

      Excluir
  3. Uó,

    Aumente as coberturas de danos materiais e corporais. Hoje em dia 100k é pouco. Principalmente a de danos corporais. Imagine o valor da indenização se você, numa bobeada, atropela alguém ou derruba um motoqueiro que fique com sequelas definitivas. Veja também se não tem cobertura de "danos estéticos".

    Observe que os valores não crescem aritmeticamente... Em geral, a cobertura de 200k < 2x (cobertura de 100k). Eu acho que 300k é um valor razoável...

    Segura a gente faz pra não usar, mas se precisar, melhor estar tranquilo com as coberturas.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Uó e Anderson: cuidado!
    Danos corporais não cobre sequelas definitivas, lucros cessantes, etc. Muitas vezes corretor fala isso, mas eles não entendem nada de Direito.
    O importante é pedir para incluir "danos morais", de no mínimo, 40 salários mínimos (razão: limite de competência dos Juizados Especiais Cíveis Estaduais, que é onde quase todo mundo entra com pedido de indenização). Nos meus seguros, a cobertura por danos morais é de 100k.
    A função do dano moral é cobrir a dor, a angústia, da vítima ou seus sucessores. Assim, é aí que mora o perigo. Se no seu acidente a pessoa morrer, ou perder um braço, ficar com cicatrizes, muitos meses em fisioterapía, a condenação em danos morais é CERTA.
    Aliás, se a pessoa sofrer uma mera luxação e hematoma e você for culpado pelo acidente, se ela acioná-lo na Justiça, você será condenado a pagá-los (obviamente, o valor será mais baixo, tipo uns 5-10 salários mínimos). E hoje em dia, quase todo mundo postula isso, até porque sequer é necessário um advogado ou pagar custas se o pedido for inferiro a 20 SM...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa,
      Muito obrigado pro estas informações, desconhecia completamente...

      Excluir
  5. Se você tiver conta Prime, Personnalite ou Van Gohg veja nos bancos, pois o desconto é absurdo para os correntistas destas modalidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho nada, não deixo dinheiro nos bancos e por isto não sou Prime,rs.

      Excluir
  6. Respostas
    1. Muita boa a matéria sobre seguros,parabéns!.Eu já tive seguro com estas 3 corretoras,nunca deram problema,também nunca precisei(rsrs).Já fiz seguro até pela internet,em banco.Mas depois de conversar com amigos mais experientes me aconselharam que o mais importante é um corretor interessado,de preferência conhecido.Então hoje vou mais pelo corretor,mas sem duvidas essas 3 são tops.Iria na mais barata.Os amigos tem alguma experiência com seguro de vida?Estou pensando em contratar um.Além de eu ter problemas de saúde, agora a Família aumentou.Estou com um rebento de 1 ano e 3 meses e estou pensando em deixar algum trocado para custear sua faculdade.
      Acionista25

      Excluir
    2. Valeu Acionista.
      Sobre seguro de vida eu tenho da Prudential Se vc for de BH posso indicar a agente.

      Excluir
  7. Uó, verifique também como funciona para acionar o seguro dessas empresas em sua cidade. As vezes eles possuem um funcionario disponivel para ser acionado no momento do ocorrido. Eu tenho um seguro aqui de Londrina, de uma corretora que vende seguros de várias empresas, onde possuo o telefone residencial e comercial do corretor. Ja liguei pra ele durante a noite e em 10 minutos ele tava no local. Pago um pouco mais caro que cotando diretamente nas empresas, mas ainda vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Henrique, vou verificar esta questão com o corretor.
      Abraço!

      Excluir
  8. Uó,

    Porto Seguro, Itaú e Azul é tudo a mesma coisa, tudo administrado pela Porto. A diferença é que o seguro da Porto (original) em geral oferece vantagens como assistência em casa para conserto de linha branca ou outros problemas residenciais. Hoje em dia eu tenho Porto para 2 carros e residência, além do cartão de crédito Porto pelos seguintes motivos: 1) Porque considero o melhor (apesar de mais caro), 2) Sou sócio e 3) tenho amigos que trabalham lá e ficam buzinando na minha orelha ...

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre a Sulamerica, eu já tive uma vez há uns 10 anos, no carro da esposa, tivemos um sinistro e não tivemos problemas. Hoje não posso relatar como está porque não sei, mas nunca ouvi ninguém reclamar

      Excluir
    2. Obrigado E.I. Vou experimentar a Sula.

      Excluir
  9. verifique a allianz. pra mim foi mais barato e vantajoso

    ResponderExcluir
  10. Uó vc chegou a ver a assinatura de carro da Porto Seguro? Acho que chama carro fácil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que eu estou fora de time, mas depois se vc quiser dar uma olhada. http://www.portosegurocarrofacil.com.br/

      É uma assinatura anual, vc paga um valor mensal e leva um carro zero, sem precisar se preocupar com documentação, impostos ou seguro e ainda tem algumas facilidades.

      Excluir
  11. Uo, tenta uma cotacao com a Tokio Marine, e a maior seguradora do Japao e esta entrando forte no mercado Brasileiro. Na minha regiao o preco esta imbativel e nao deixa nada a desejar em qualidade. Vale a pena pesquisar

    ResponderExcluir
  12. Uo

    Tb sugiro verificar o seguro auto do BB. Tinha simulação na web. Muitas vezes achei ali melhor preço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo,sou do RN.Aqui tem escritório da porto seguro.Numa olhada por cima sai mais em conta que no BB,o seguro de vida.Estou vendo também a questão da PP.Se migro para uma que pague um pecúlio melhor ou faço uma Brasilprev júnior.Salientando que paralelo a isso já estou me movimentando para abrir conta para o mesmo no BB e na rico para uma carteira com TD.Obrigado pela atenção...
      Acionista25

      Excluir
  13. Não pode a opção de não fazer seguro? Pra mim esse é o melhor. Faço apenas um colchão invés de pagar por franquias absurdas dessas seguradoras. Porém moro na capital mais segura e tranquila do país. Quem adivinhar qual é a capital ganha uma barra de chocolate!

    ResponderExcluir