sábado, 11 de junho de 2016

Tags: , , ,

Um Olhar Através dos Séculos: Religião e Tecnologia


Até o século 19 as pessoas rezavam antes de sair de casa. Era uma forma de se sentirem seguras fora da segurança do lar. No século 20 os jornais assumiram o lugar dos livros santos. Era fundamental conhecer as recentes notícias logo pela manhã. Lia-se na mesa do café ou no percurso até o local de trabalho...

Registro fotográfico do metrô de Nova York em 1946 pelo jovem Stanley Kubrick (Fonte)

Agora no século 21 as pessoas não rezam mais e também não leem jornais como antigamente. A janela para o mundo está em um aparelho conhecido como celular. Costumes mudam de século para século ou até de década para década. Estamos cada vez mais conectados porém cada vez mais isolados.

Registro fotográfico do metrô de Pequim em 2012 por fotógrafo desconhecido (Fonte)

Pesquisando mais a fundo na internet sobre a transformação destes hábitos ao longo dos séculos no intuito de corroborar a minha tese de que as pessoas estão cada vez menos religiosas e cada vez mais "digitalizadas" acabo concluindo que uma coisa não exclui a outra. As pessoas agora rezam por aplicativo, é o sinal dos tempos... ou do fim dos tempos...


Bom fds!

13 comentários:

  1. É a mesma coisa, sendo que o pessoal agora vai ficar corcunda! KKK
    Apesar de ser tecnófilo eu sempre fico com o pé atrás quando dizem que tecnologia X vai "acabar" com isso ou com aquilo. Até hoje não acabou o jornal de papel, nem o rádio, nem a TV, etc. Claro que diminuiram, mas acabar não acabaram.

    UO, tem como você dar uma olhada rapidinha no meu blog e se gostar me incluir no blogroll? jogodomilhao.blogspot.com.br

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao longo dos séculos algumas mídias deixa de existir... o papiro acabou com a escrita em parede, os livros/jornais acabaram com o papiro... revistas, jornais e livros podem acabar tb daqui alguns séculos, ainda é cedo para se falar, estamos só no início desta nova revolução, estes hábitos duram décadas e décadas para mudar.

      Vou passar lá.

      Abraço!

      Excluir
  2. Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre, e pelos séculos do séculos. Amém.

    A única constante no mundo é Deus, o resto é passageiro. Hoje é celular, amanhã pode ser relógio digital, tablete, óculos digital, vai saber.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na vida, tirando o motorista e o trocador, todo o resto é passageiro,rs. Piadinha infame. Mas até o trocado esta com os dias contados.

      Excluir
  3. O problema é o seromano rsrs...
    Que não passa de um macaco que a milhares de anos perdeu o rabo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coitado do macaco, sempre acaba pagando pelos erros dos homens.

      Excluir
    2. E olha que ele nem frequenta igreja rsrs...

      Abraços

      Excluir
  4. Novos tempos.

    UÓ, sou morador de SP-Capital e minha esposa é muito religiosa (ela e a família é de MG e ela sempre teve o habito de rezar e de ir a igreja aos finais de semana) Por ela ser religiosa, tem a "sorte" de assistir a missa do Padre Marcelo Rossi aos domingos e as vezes eu acompanho ela (digamos que sou 50% ateu, mas antes de sair de casa faço o sinal da cruz para a minha proteção, porém, estarei mais protegido sabendo os lugares onde ando, etc, etc)

    Quando eu acompanho ela na missa do Padre Marcelo aos domingo a tarde é uma multidão de pessoas e vejo muitos jovens nos seus 20 a 30 anos com diversas maneiras de se vestirem e se comportarem.

    Estão sempre com o celular na mão no zap zap porém com terços cada vez mas estilosos (creio que esta indústria fatura muito!)

    Em resumo: Na minha opinião religião vem de berço e do acompanhamento constantes dos pais. Meus pais me levaram para igreja até meus 13 anos, depois não levaram mais, até porque eu não queria, pois achava muito chato e massante e desinteressante, onde ao meu redor só tinha gente mais velha do que eu.

    Hoje queremos algo cada vez mais prático, rápido e que seja prazeroso e sinto isto na missa do Padre Marcelo. Algumas igrejas aqui em SP não entregam mais folhetinho para acompanharem a missa. As músicas e as orações são transmitidas em telões de led e os assuntos abordados por alguns Padres sempre fazem referências a atualidades.

    Desculpa pelo longo texto!rs

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb tenho notado estes comportamentos que vc citou. Estamos na época dos padres super-estar e das igrejas/fiéis high-tech. Muda a forma de passar a mensagem, mas será que as pessoas estão absorvendo a mensagem ou apenas a imagem?

      Abraço!

      Excluir
    2. A veja desta semana diz tudo...
      Caralho!

      Abraço

      Excluir
  5. Esse dias tava olhando essa falta de religião, porém mais especificamente na Europa, nas pesquisas me deparei com um dado integrante que vale ser ressaltado aqui

    Países com menores índices de religiosos estão sofrendo uma carência populacional tremenda. Quanto mais ateus mais a população vai diminuindo. Alguns estudos demonstraram problemas sérios para economia e até mesmo para substiencia do país no longo prazo.

    Isso prova que a falta de Deus mata.

    Brincadeiras à parte é um efeito a ser analisado com cuidado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outro dia um filósofo destes de Youtube disse que o problema não é a pessoa deixar de acreditar em Deus, o maior problema reside no fato de que a grande maioria das pessoas que passam a desacreditar da figura Divina passam a acreditar em ideias bem prejudiciais a ela e ao seu entorno.

      Excluir